Voto de eleitos na Grande Vitória custou de R$ 1,61 a R$ 15,38 - ES360

Voto de eleitos na Grande Vitória custou de R$ 1,61 a R$ 15,38

Quem gastou mais para ser eleito foi Lorenzo Pazolini, escolhido para ser o prefeito de Vitória. Já Arnaldinho Borgo, eleito em Vila Velha, foi o que teve campanha com menor custo

Arnaldinho Borgo, prefeito eleito em Vila Velha. Foto: Reprodução/Facebook
Arnaldinho Borgo, prefeito eleito em Vila Velha. Foto: Reprodução/Facebook

Para serem eleitos prefeitos neste segundo turno na Grande Vitória, os candidatos tiveram gasto que variou de R$ 1,61 a R$ 15,38 por voto. Quem teve custo maior para se eleger foi o deputado estadual Lorenzo Pazolini (Republicanos), escolhido para ser o novo prefeito de Vitória: R$ 15,38, valor quase dez vezes maior do que o vereador Arnaldinho Borgo (Podemos) gastou em Vila Velha para ser eleito (R$ 1,61). O cálculo foi feito com base no total de despesas registradas no site do Tribunal Superior Eleitoral e no número de votos recebido pelos candidatos nas eleições do último domingo (29).

O segundo maior custo por voto na região metropolitana ficou para o prefeito eleito Sérgio Vidigal (PDT), na Serra, que gastou R$ 10,98 por voto. Já em Cariacica, Euclério Sampaio (DEM) gastou na campanha R$ 2,69 por voto.

No total, a campanha do prefeito eleito de Vitória gastou R$ 1.576.519,07, dos mais de R$ 2,4 milhões recebidos, a maioria de seu partido. Pazolini conquistou a eleição com 102.466 votos, 58,5% dos votos válidos na capital contra o ex-prefeito João Coser (PT).

Em Vila Velha, Arnaldinho Borgo totalizou em despesas da sua campanha o valor de R$ 224.141,14, dos mais de R$ 400 mil recebidos do partido. Dessa forma, teve média de gasto de R$ 1,61 por voto para derrotar o atual prefeito Max Filho (PSDB) nas urnas. O vereador teve 138.741 votos na cidade canela verde, o que representa 69,03%, enquanto Max Filho foi escolhido por 30,97% dos eleitores.

Na Serra, Sergio Vidigal gastou R$ 1.229.285,05 dos R$ 1,9 milhão recebido na sua campanha para garantir 111.920 votos, o que representa R$ 10,98 por voto conquistado. O deputado federal e ex-prefeito da cidade derrotou nas urnas o vereador Fábio Duarte (Rede) com 54,9% dos votos. Fábio, candidato que defendia o legado do atual prefeito Audifax Barcelos (Rede), conquistou R$ 45,10% dos eleitores.

O deputado estadual Euclério Sampaio teve um dos menores gastos para ser eleito em Cariacica. Com despesas de R$ 256.822,54, ele recebeu 95,356 votos, portanto R$ 2,69 por tecla confirma apertada pelo eleitor. Ele foi o único entre os candidatos que declarou mais gastos do que valor recebido, pois sua receita declarada foi de R$ 244 mil. Ele venceu com 58.69% dos votos, contra 41,21% da candidata Célia Tavares, do PT.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Técnica de Enfermagem recebe a 1ª vacina no Espírito Santo

Dia a dia

Óbitos em cartórios apontam 2020 como o ano mais mortal da história do ES

Dia a dia

Covid-19: Espírito Santo registra 30 mortes e 1.853 casos em 24 horas

Dia a dia

Primeiras doses da vacina contra a covid-19 chegam ao Espírito Santo