Vivo é condenada por trabalho análogo à escravidão - ES360

Vivo é condenada por trabalho análogo à escravidão

Segundo o TRT-ES, a companhia telefônica e outras três empresas mantinham 11 pessoas do Maranhão em condições degradantes

A Justiça do Trabalho condenou a Vivo e outras três empresas contratadas pela companhia telefônica por prática de trabalho análogo à escravidão. De acordo com decisão do TRT-ES (Tribunal Regional do Trabalho), 11 pessoas trazidas do Maranhão foram submetidas a condições degradantes.

Além da Vivo, foram condenadas as empresas Bimetal Indústria Metalúrgica, American Towers e Norte Amazônia Construções, Comércio e Serviços. As informações dão conta de que a Vivo locou um espaço da American Towers. Esta, por sua vez, contratou a Bimetal para fornecer estruturas metálicas. A Norte Amazônia foi subcontratada para executar os serviços.

A sentença obriga, entre outras determinações, que as empresas paguem indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 200 mil, que deve ser paga em até 48h após a ação transitar em julgado.

Todas as empresas foram procuradas. No entanto, somente a Vivo respondeu. A companhia informou que não compactua com prática de trabalho ilegal e que recorrerá da decisão judicial.

Mais notícias
Dia a dia

Taxa de ocupação de UTI para covid passa de 80% no ES

Dia a dia

Covid-19: Espírito Santo é o 11º no ranking de vacinação do Brasil

País

Brasil registra 1.699 mortes por covid-19 em 24h; total chega a 260.970

Dia a dia

Maranata leva ensinamentos a pessoas com deficiência