Vivo é condenada por trabalho análogo à escravidão - ES360

Vivo é condenada por trabalho análogo à escravidão

Segundo o TRT-ES, a companhia telefônica e outras três empresas mantinham 11 pessoas do Maranhão em condições degradantes

A Justiça do Trabalho condenou a Vivo e outras três empresas contratadas pela companhia telefônica por prática de trabalho análogo à escravidão. De acordo com decisão do TRT-ES (Tribunal Regional do Trabalho), 11 pessoas trazidas do Maranhão foram submetidas a condições degradantes.

Além da Vivo, foram condenadas as empresas Bimetal Indústria Metalúrgica, American Towers e Norte Amazônia Construções, Comércio e Serviços. As informações dão conta de que a Vivo locou um espaço da American Towers. Esta, por sua vez, contratou a Bimetal para fornecer estruturas metálicas. A Norte Amazônia foi subcontratada para executar os serviços.

A sentença obriga, entre outras determinações, que as empresas paguem indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 200 mil, que deve ser paga em até 48h após a ação transitar em julgado.

Todas as empresas foram procuradas. No entanto, somente a Vivo respondeu. A companhia informou que não compactua com prática de trabalho ilegal e que recorrerá da decisão judicial.

Mais notícias
País

ONG alertou em junho que dados sobre pacientes com covid eram vulneráveis

País

Maia defende que Congresso discuta soluções para combater racismo no Brasil

Eleições 2020

Cariacica tem empate técnico entre Euclério Sampaio e Célia Tavares

Eleições 2020

Arnaldinho Borgo dispara em Vila Velha e soma 72% dos votos válidos, diz pesquisa