Vitória: Polícia Militar permanece em área de confronto - ES360

Vitória: Polícia Militar permanece em área de confronto

Reforço de segurança será mantido, inclusive, nas avenidas que foram alvo de ações criminosas na última sexta-feira (14)

Viatura da Polícia Militar em Vitória. Foto: Chico Guedes
Na última sexta-feira, após os ataques em avenidas da capital, vários comerciantes fecharam as portas. Foto: Chico Guedes

 

A Polícia Militar continua nesta segunda-feira (17) reforçando a segurança do entorno e da região do Complexo da Penha, em Vitória, com patrulhamento preventivo e tático. A medida foi adotada pela Sesp (Secretaria de Estado da Segurança Pública) após os ataques de criminosos na última sexta-feira (14) em avenidas como a Leitão da Silva e Maruípe. Bandidos armados quebraram carros, apedrejaram e queimaram ônibus e levaram pânico a moradores e comerciantes da capital.

> Governador garante que policias não realizam “operação padrão”

A motivação da “onda de terror”, como classificou o secretário da Sesp, Roberto Sá, foi o assassinato de Caio Mateus Silva Santos, de 17 anos, que tinha envolvimento com o tráfico de drogas. Segundo o secretário, o jovem foi morto durante uma operação realizada durante madrugada da última sexta-feira, no Complexo da Penha.

Troca de tiros

Na madrugada deste sábado (15), policiais militares e criminosos trocaram tiros no bairro da Penha. Durante patrulhamento, os PMs se depararam com três homens armados, que efetuaram disparos contra a equipe, que revidou os tiros. A Polícia Militar afirma que ninguém ficou ferido. Os criminosos conseguiram fugir.

De acordo com a Polícia Civil, o caso seguirá sob investigação no SIE (Serviço de Investigações Especiais) do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa). A polícia destaca ainda que a população pode contribuir com informações de forma anônima por meio do Disque-Denúncia 181, que também possui um site onde é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas, o disquedenuncia181.es.gov.br.

Operação Anóxia

No dia 5 de fevereiro, a Polícia Militar deflagrou a Operação Anóxia no Complexo da Penha. A ação é uma resposta aos enfrentamentos sofridos pelos policiais durante patrulhamento no local. Equipes ocupam a região por tempo indeterminado. A decisão da corporação se deu devido ao aumento significativo do número de confrontos na região no mês de janeiro.

Na última sexta-feira, dois ônibus foram incendiados na avenida Maruípe – próximo ao quartel da Polícia Militar – e na Rodovia Serafim Derenzi, na região da Grande São Pedro. Além disso, comerciantes foram obrigados a baixar as portas de suas lojas nessas regiões. Alguns não abriram nem mesmo no sábado.

Seis suspeitos de terem participado da onda de violência em Vitória foram detidos na sexta-feira. “Não adianta eles (criminosos) acharem que vão nos intimidar. Se o ataque é em decorrência da ação, iremos continuar”, afirmou o secretário Roberto Sá.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Esportes

Para Colômbia, é ‘improvável’ receber voo da Seleção Brasileira

Política

Cartório 'censura' escritura da mansão de Flávio Bolsonaro

Dia a dia

Governo do ES abre mais de 10 leitos de UTI em Vitória

País

Maioria dos bares respeita restrição no Rio