Vila Velha dá início à 'Operação Hefesto' e interdita ferro-velho - ES360

Vila Velha dá início à ‘Operação Hefesto’ e interdita ferro-velho

A Prefeitura de Vila Velha informou que são constante os registros de furtos de cabos de cobre, seja de instalações públicas ou privadas

Prefeitura de Vila Velha dá início à Operação Hefesto. Foto: Adessandro Reis/Divulgação
Prefeitura de Vila Velha dá início à Operação Hefesto. Foto: Adessandro Reis/Divulgação

 

Um ferro-velho foi interditado por falta de autorização de funcionamento e um indivíduo foi detido por desacato nesta terça-feira (19) em Vila Velha. A ação faz parte da primeira etapa da Operação Hefesto, realizada pela Guarda Municipal em parceria com técnicos da Vigilância Sanitária, da Posturas, da Secretaria de Meio Ambiente e da Secretaria de Serviços Urbanos, além do apoio das polícias Militar e Civil.

A prefeitura informou que são constante os registros de furtos de cabos de cobre, seja de instalações públicas ou privadas. “Já identificamos, nos primeiros 15 dias de 2021, furto de mais de 120 metros de cabos dos nossos semáforos. Além de atrapalharem o trânsito, geram custo para repor este material. O prejuízo mensal gira em torno de R$ 25 mil. Queremos encontrar os receptadores para inibir estas ocorrências”, explicou o comandante da Guarda Municipal, Landa Marques.

Dos seis ferros-velhos definidos para a primeira etapa da operação, três foram visitados nesta terça-feira: dois no bairro Ilha dos Ayres, onde foram encontrados indícios de queima de fios e condutores elétricos, e outro no bairro Divino Espírito Santo. Um estabelecimento foi interditado por falta de autorização de funcionamento e um indivíduo foi detido por desacato.

Ainda segundo a prefeitura, além do material de sucata, foram encontradas cerca de dez pessoas que estavam abrigadas em um dos estabelecimentos visitados. Elas receberam o acolhimento da equipe de assistentes sociais a prefeitura. O local, em más condições sanitárias, era usado como espaço de convivência deles, segundo a secretária municipal de Assistência Social, Letícia Goldner Valim.

De acordo com o prefeito Arnaldinho Borgo, que acompanhou a operação, o objetivo da ação é, além de reduzir os furtos, regularizar a situação dos estabelecimentos da cidade. “É uma operação de saturação no primeiro momento, mas o caráter múltiplo, com várias secretarias, é para garantir que tenhamos atendimento às pessoas que necessitam pela Assistência Social e pela Saúde, além de auxiliar os empreendedores a se regularizarem. Queremos uma cidade bem ordenada e alinhada para este novo momento”, comentou o prefeito.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Teste

Teste do campo de Autoria

Bem-estar

"O ES pode colapsar junto", afirma secretário de Saúde

Dia a dia

Saiba como agendar a vacina contra covid no Espírito Santo

Esportes

Olimpíada deve receber número limitado de torcedores