Vacina contra covid-19 pode estar disponível em janeiro, diz Doria - ES360

Vacina contra covid-19 pode estar disponível em janeiro, diz Doria

Expectativa é que 60 milhões serão imunizados inicialmente

Governo de São Paulo inicia testes com vacina contra o novo coronavírus. Foto: Divulgação/Governo de São Paulo
Governo de São Paulo inicia testes com vacina contra o novo coronavírus. Foto: Divulgação/Governo de São Paulo

 

O governador de São Paulo, João Doria, disse nesta segunda-feira (27) que a vacina contra o novo coronavírus produzida por um laboratório chinês, em parceria com o Instituto Butantan, poderá estar disponível para a população brasileira a partir de janeiro de 2021. Isso, segundo o governador, vai depender se os testes da vacina forem bem sucedidos.

“Já no final do ano, não havendo intercorrências na terceira fase de testes, poderemos iniciar a produção da vacina em dezembro e imediatamente iniciar a vacinação de milhões de brasileiros”, disse Doria. No entanto, nem toda a população brasileira poderia ser vacinada em janeiro já que a produção ainda seria insuficiente para vacinar todo mundo. A expectativa é que inicialmente sejam vacinadas 60 milhões de pessoas no país.

> Os desafios da vacinação em massa no Brasil

Segundo o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, a fase 3 vai demonstrar se a vacina produz anticorpos contra a covid-19 e se essa produção de anticorpos é sustentada, ou seja, se isso é mantido por um tempo prolongado.

“Como estamos no meio de uma pandemia, nada mais justo que as autoridades sanitárias promovessem emergencialmente a liberação. Se tenho segurança e estou produzindo anticorpos nesses três meses, vamos utilizar [a vacina para a população]. Claro que todo o estudo deve continuar até para saber se vai precisar dar doses de reforço com o decorrer dos anos”, justificou Gorinchteyn.

A CoronaVac, como foi batizada essa vacina, está na fase 3 de testes em humanos, que está sendo realizada também no Brasil. Ao todo, os testes com a CoronaVac serão realizados em nove mil voluntários em centros de pesquisas de seis estados brasileiros: São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná. A pesquisa clínica será coordenada pelo Instituto Butantan e o custo da testagem é de R$ 85 milhões, custeados pelo governo.

> Coronavírus: imunidade coletiva pode ser alcançada com até 20% de infectados

Caso seja comprovado o sucesso da vacina, ela começará a ser produzida pelo Instituto Butantan.

Agência Brasil


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Espírito Santo libera aulas nas escolas a partir de 5 de outubro

Dia a dia

Covid-19: registro de mortes sobe e chega a 26 em 24 horas no ES

País

Saúde: Brasil ultrapassa marca de 140 mil mortes por covid-19

Dia a dia

Transcol volta a circular com 100% da frota em outubro