Teatro Carlos Gomes tem visita técnica para elaborar projeto de restauro - ES360

Teatro Carlos Gomes tem visita técnica para elaborar projeto de restauro

Fotografias datadas de 1928, época da inauguração, ajudaram a localizar pinturas com estêncil nas paredes do teatro e servirão de guia durante o processo

Restauro Teatro Carlos Gomes - Prospecção (Foto: Reprodução/Secult)
Restauro Teatro Carlos Gomes – (Foto: Reprodução/Secult)

Desde 1927, o Theatro Carlos Gomes, no Centro de Vitória, é um importante exemplar da arquitetura eclética no Espírito Santo. Em seus quase 100 anos de existência, camadas de pinturas e revestimentos se acumularam e acabaram escondendo parte da história do prédio.

Amostras de uma visita técnica, divulgadas nesta segunda (19) pela Secretaria de Cultura (Secult), trazem parte do material encontrado debaixo da pintura atual, reflexos de uma estética que data do período de inauguração do teatro.

Durante a visita técnica, a empresa de arquitetura Arquistudio apresentou uma proposta de intervenção na elaboração do projeto de restauro do teatro. Após prospecções em diversas áreas do prédio, foram identificadas 12 camadas de tinta.

Prospecções

Prospecção é uma técnica que busca encontrar vestígios e características que estão por baixo das camadas de pintura e revestimento. As prospecções foram feitas por meio de pesquisas históricas, análises arquitetônicas e investigações em fotografias antigas cedidas pelo Arquivo Público do Estado do Espírito Santo (APEES).

Prospecções em restauro do Teatro Carlos Gomes (Reprodução: Secult)
Prospecções em restauro do Teatro Carlos Gomes (Reprodução: Secult)

O que foi encontrado mostra que em vários pontos do teatro, como paredes, colunas e fachada, existem camadas de tinta que registram as épocas da história do teatro.

De acordo com o secretário de Estado da Cultura, Fabrício Noronha, a descoberta feita pela visita técnica foi uma etapa importante do processo de restauração, “Ficamos todos muito entusiasmados diante do estêncil descoberto pelas prospecções. É a nossa história ali, sendo revelada em suas cores e formas. Todo capixaba merece ter essa experiência com o teatro reaberto e algumas dessas descobertas expostas.”

Estêncil

Grande parte das pinturas encontradas nas prospecções do teatro era feita com uma técnica chamada de estêncil, usando um molde vazado para a aplicação de um desenho de forma repetida. Em Vitória, a técnica foi muito usada no final do século 19, feita por artesãos em sua maioria imigrantes italianos. Poucas pinturas permaneceram até o século 20, sendo encobertas por novas camadas de tinta. Algumas edificações históricas presentes na cidade de Vitória conservam nas suas paredes as pinturas com estêncil: a Capela de Santa Luzia, a Casa Porto das Artes Plásticas, o prédio da Fafi e também o Hotel Majestic.

Fotografias datadas de 1928, época da inauguração, ajudaram a localizar as pinturas com estêncil nas paredes do teatro. Elas foram fundamentais para confirmar que existiam pinturas que circulavam por toda a extensão do local.

Teatro Carlos Gomes, 1928 (Reprodução: Secult)
Teatro Carlos Gomes, 1928 (Reprodução: Secult)

O futuro

As decisões sobre retornar ou não ao aspecto original do teatro, cabem aos diálogos que a Secult e os conselhos estaduais de cultura farão sobre o processo de restauração, uma vez que todas as alterações feitas ao longo dos anos também são importantes para construção histórica do local.

A elaboração do projeto de restauro e a modernização do Teatro Carlos Gomes foram pactuadas em junho de 2020, com a assinatura da Ordem de Serviço entre o governo do Estado, por meio do DER-ES, e a Arquistudio Arquitetura e Urbanismo. A empresa tem até fevereiro de 2021 para apresentar a elaboração do projeto arquitetônico. As outras etapas que dizem respeito a projetos de iluminação, acessibilidade, cenotécnica e modernização serão divulgadas nos próximos meses.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Confira novas regras para cidades em risco moderado

Dia a dia

“Vamos cumprir o decreto, mas discordamos da decisão”, diz presidente do Sinepe sobre fechamento de escolas

Cult

“O Gambito da Rainha” se torna uma das séries mais vistas da Netflix

Eleições 2020

Serra: Pesquisa aponta Vidigal com 56% e Fábio tem 32%