Sesa espera aumento de casos e óbitos para a segunda quinzena de janeiro - ES360

Sesa espera aumento de casos e óbitos para a segunda quinzena de janeiro

Queda de testagem durante o período festivo prejudicou monitoramento da covid-19. A partir da próxima semana, Estado ampliará credenciamento de laboratórios para realização de mais exames

A segunda quinzena de janeiro deverá ser marcada pelo aumento no número dos casos e óbitos decorrentes do novo coronavírus. Segundo o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, isso ocorre por dois motivos. O primeiro é a queda de testagem da população por parte dos municípios, que faziam a transição das suas gestões; e o segundo, a maior interação das pessoas durante as festas de final de ano.

De acordo Fernandes, no dia de Natal o Lacen (Laboratório Central) da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) recebeu 382 amostras de testes de todo o Espírito Santo. Em novembro foram mais de 3 mil. Para dar celeridade ao processo de diagnóstico, representantes da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) devem se reunir na próxima semana com os gestores capixabas para discutir a ampliação da coleta.

A ideia, segundo o secretário, é permitir que os municípios enviem diretamente as amostras coletadas para laboratórios credenciados, localizados hoje em Colatina e Grande Vitória; e a possibilidade de inclusão de um novo laboratório de Linhares nessa lista.

“Dessa maneira, aguardamos que na segunda quinzena de janeiro teremos um aumento de casos observados por conta da recuperação da capacidade de testagem dos municípios”, disse Fernandes.

De acordo com o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, a meta da Sesa é chegar a quatro mil amostras por dia.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Espírito Santo registra 13 mortes e 995 casos de covid-19 neste domingo

Dia a dia

Espírito Santo vai receber 100 mil doses das vacinas aprovadas pela Anvisa

Dia a dia

Em recado a Doria, Pazuello diz que não começa a vacinar com ‘jogada de marketing’

Dia a dia

Enfermeira Mônica Calazans de São Paulo é a 1ª vacinada contra covid-19 no Brasil