“Se relaxarmos, podemos perder muitas vidas”, diz Casagrande - ES360

“Se relaxarmos, podemos perder muitas vidas”, diz Casagrande

O governador do Espírito Santo falou com a imprensa após reunião com o presidente Bolsonaro e defendeu manter as medidas de isolamento contra o coronavírus

Após o pronunciamento da noite desta terça-feira (24), que em defendeu o fim do isolamento para impedir o avanço do coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro fez uma reunião por videoconferência na manhã desta quarta-feira (25) com os quatro governadores do Sudeste e voltou a defender o isolamento somente dos idosos para não prejudicar a economia.

Segundo Casagrande, a reunião teve a participação do presidente Bolsonaro e alguns ministros. Na abertura do encontro, o presidente teria feito uma fala rápida, de um minuto, sobre o impacto econômico da quarentena nos estados e do desemprego. Cada governador teve seu tempo para falar e o embate mais significativo foi entre Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Dória, em que o presidente voltou a falar sobre o interesse político de Dória nas políticas contra o coronavírus.

Em coletiva de imprensa logo após o fim da reunião, o governador Renato Casagrande reiterou seu posicionamento de manter o isolamento no estado até a semana que vem para avaliar a evolução dos casos e tomar novas decisões.

“Se a gente relaxar, podemos perder muitas vidas. Nossas decisões têm efeitos de 15 dias e foram muito importantes para que as pessoas entendessem o risco do contágio e dos cuidados com o grupo de risco”, afirmou.

Sobre a posicionamento de Bolsonaro em rede nacional, Casagrande afirmou que foi contrário e desconectado das orientações da OMS (Organização Mundial da Saúde), cientistas e do próprio Ministério da Saúde e que disse isso ao presidente durante o encontro virtual.

“Essa manifestação acaba gerando muitas dúvidas junto à sociedade e isso poderia dificultar o trabalho nos estados e municípios. Disse na reunião que nós desejamos que o trabalho mais intenso possa reduzir o contágio do vírus, organizar o sistema de saúde e flexibilizar as atividade”, afirmou.

Uma nova reunião será realizada hoje, às 16h, desta fez no Fórum dos Governadores, que inclui representantes de todas os estados do país.

Barreiras sanitárias devem ser implantadas em rodoviárias e fronteiras do Espírito Santo. Foto: Chico Guedes
Casagrande voltou a defender medidas tomadas no estado contra o coronavírus. Foto: Chico Guedes

Confira outros pontos da entrevista coletiva

Pedido de mais vacinas

Casagrande disse que pediu novamente ao governo a necessidade de disponibilizar mais vacinas, pois os estoques no Espírito Santo estão quase no final.

Medidas

O governador disse ainda que falou da necessidade de efetivar medidas de ampliação do Bolsa Família e também agilizar a liberação de respiradores para o estado, assim como EPIs (equipamentos de proteção individual) e mais testes para detectar o coronavírus. E ainda falou sobre a necessidade do governo protelar o pagamento dos precatórios.

Conflito com Dória

Segundo Casagrande, o presidente fez uma resposta direta ao governador João Dória, dizendo que ele não tinha esse comportamento quando era candidato e que teria se elegido usando o nome de Bolsonaro. E o presidente teria afirmado que estaria usando a crise como palanque para 2022. “Quando voltei a falar, disse que nós não podemos tratar todos os temas no confronto. O governo federal confronta a posição dos estado e isso é muito ruim. Queremos uma coordenação nacional e um trabalho conjunto para diminuir o impacto do contágio”, disse Casagrande.

Fala do presidente

Casagrande afirmou que a palavra do presidente traz dúvida para a sociedade. “O comerciante pode se sentir encorajado a voltar a abrir as portas. A fala mostra que estamos sem liderança e isso dificulta o nosso trabalho. É muito importante a gente cuidar da economia, mas não se pode menosprezar a pandemia, se relaxarmos, perderemos muitas vidas”, afirmou.

Efeitos do isolamento no estado

Casagrande afirmou que durante essa semana o estado vai receber muitos dados sobre a pandemia e assim poderá ser avaliado o resultado do isolamento. No transporte de ônibus do sistema Transcol, a queda no movimento já foi de 71%, no aeroporto mais de 90% e nas rodoviárias o movimento também foi reduzido em 90%. “Houve de fato a contribuição da sociedade e vamos ver como se comporta o vírus nos próximos dias. A avaliação do isolamento será feita na semana que vem, quando novas decisões começam a ser tomadas”, disse.

Coordenação nacional

Casagrande criticou a falta de uma coordenação nacional sobre o assunto. “Ficamos sem condições de saber se poderemos tomar uma decisão comum nos estado. Pedi por duas vezes, mas não houve promessa de uma coordenação nacional.

Crédito para micro e pequenas empresas

Até o fim da semana, o governo vai lançar medicas para dar suporte à sobrevivência das micro e pequenas empresas. Previsão é ser lançado pela Sedes até sexta-feira, segundo Casagrande.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
País

Maioria das empresas não percebeu apoio dos governos na pandemia, diz IBGE

Dinheiro

Grupo de amigos distribui 200 kits de alimento a entregadores de aplicativo 

Mundo

Reino Unido acusa russos de tentarem roubar informações sobre vacina contra covid

Política

Governo aponta risco de conflito na América do Sul