Saiba quais aparelhos que mais consomem energia elétrica no inverno - ES360

Saiba quais aparelhos que mais consomem energia elétrica no inverno

A Aneel anunciou que, por conta da pandemia do coronavírus, as contas de luz ficarão com bandeira tarifária verde até o fim do ano

Em meio ao coronavírus, clientes inadimplentes não terão energia cortada por 90 dias. Foto: ABR/Agência Brasil
Energia. Foto: ABR/Agência Brasil

O inverno é o período em que a conta de energia elétrica costuma aumentar por conta do uso de eletrodomésticos em potência alta, como o aquecedor, ar-condicionado (modo Heat), ferro de passar roupas, lava-louça, máquina de lavar e secar roupas e torneira elétrica.

Segundo o CEO e especialista em eficiência energética, Wagner Cunha Carvalho, o chuveiro elétrico é o grande vilão neste período, pois consome, em média, 25% a mais de energia que nos dias quentes. “Os cuidados com o uso do chuveiro elétrico precisam ser redobrados, pois, além do alto consumo de energia, também há o desperdício de água, já que o tempo do banho costuma ser maior. Isso sem falar no uso de torneiras aquecidas, máquina de secar roupas e aquecedores”, explica.

> Seis dicas para não errar na hora de comprar um aparelho de ar-condicionado

No Brasil, a média de consumo, por pessoa, é de 180 litros de água por dia, sendo que a indicação é de cerca de 110 litros/dia. “Já passamos por uma forte crise hídrica e, por isso, o recurso merece toda atenção também nos dias mais frios. Banhos muito longos, uso demasiado da máquina de lavar roupas ou louças, ainda mais com o uso de água quente, afetam o setor”, relembra Wagner.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou que, por conta da pandemia do novo coronavírus, as contas de luz ficarão com bandeira tarifária verde até o fim do ano, mas isso não significa um descuido quanto ao gasto e consumo mensais.

Outra dica importante, em tempos de home office, é estar atento às luzes dos ambientes, equipamentos de uso intermitente em tomadas, que interferem no consumo de energia e na eficácia de outros aparelhos.

Na escala de maior gasto, estão o ar-condicionado – na função quente ou fria – e a geladeira, que no total do consumo de uma casa representa 30%, o chuveiro elétrico 25%, a iluminação 20%, aparelho de televisão 10%, o ferro elétrico 6%, máquina de lavar 5% e todos os demais, como micro-ondas, roteadores, etc, 4%.

“Um ponto esquecido é o tipo de iluminação do ambiente. Lâmpadas decorativas podem consumir bastante energia sem percebermos. A tecnologia LED (Light Emitter Diode), hoje em dia é uma das mais eficientes e contribui muito para redução do consumo.

Procure deixar o maior número possível de aparelhos desligados e colocar a geladeira em potência baixa, pois mesmo na opção de stand by, apresentam consumo”, finaliza o especialista.

Climatempo


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Espírito Santo libera aulas nas escolas a partir de 5 de outubro

Dia a dia

Covid-19: registro de mortes sobe e chega a 26 em 24 horas no ES

País

Saúde: Brasil ultrapassa marca de 140 mil mortes por covid-19

Dia a dia

Transcol volta a circular com 100% da frota em outubro