Saiba como vencer os problemas de convivência em família na quarentena - ES360

Saiba como vencer os problemas de convivência em família na quarentena

Dentro de casa, é preciso entreter as crianças e manter uma rotina organizada para todos, especialmente quem estiver de home office

A pandemia da covid-19 virou nossa rotina de cabeça para baixo nas últimas semanas e, agora, estamos confinados dentro de casa com toda a família. De repente, o que era bom passou a ser excessivo, e em todas as horas do dia precisamos cozinhar, trabalhar e conviver juntos. Nisso surge a pergunta: dá para driblar os problemas de convivência?

Casados há 11 anos, a nutricionista Natália Shiramata, 35, e o marido Eduardo Shiramata, 36, estão enfrentando dificuldades para conciliar o home office com os filhos, um de 5 anos e outro de 1 ano. Embora o marido seja participativo em casa, Natália precisa se desdobrar com as crianças e as tarefas domésticas no período da manhã, exatamente quando ele entra em reuniões online de trabalho. Os pequenos também reclamam por não poderem sair de casa. “Às vezes, o mais velho quer ir na pracinha brincar. Digo que não dá, mas ele fica confuso, até mesmo irritado”, conta a nutricionista.

Dentro de um ambiente como esse, a psicóloga Naria Delboni afirma que é preciso desacelerar e procurar organizar a rotina, nem que seja em uma planilha de Excel. “Nesse momento de pandemia, todos nós ficamos com os ânimos aflorados. Já que está todo mundo em casa, é necessário encontrar ajuda mútua nas atividades estressantes e que exigem paciência. Por isso, precisamos pensar em uma rotina, o que torna tudo mais fácil”, recomenda. “Em conjunto, estabeleçam horários e tarefas para desenvolver durante o dia. Afinal, não cabe só a uma pessoa o bem-estar da família”, afirma Naria, que é especializada em Terapia Comportamental.

Em relação às crianças, é aconselhável um momento de interação e de estímulos diferentes, para acalmá-las e, ao mesmo tempo, ensinar novas coisas. “Se todo mundo estiver alterado, elas também ficam. Ao invés de provocar mais estresse, por que não contar histórias, entretê-las com brinquedos ou ações domésticas? Dessa forma, você mesmo se distrai”, aconselha a psicóloga.

Natália adotou medidas parecidas à medida em que os filhos começaram a reclamar. “Vi como saída colocar o mais velho para me ajudar nas atividades de casa, lavando louça e estendendo roupa, além de estimular mais com TV e brinquedos. Hoje eles já entendem, então conseguimos nos respeitar e conviver melhor”, diz.

Para os adultos

Já para os que estiverem em home office, a psicóloga dá algumas dicas para não perder o foco, como alongar-se, fazer pausas, não ficar de pijama e, acima de tudo, pedir aos familiares para não atrapalhem.

Depois, é hora de descansar lendo livros, assistindo filmes e séries, jogando videogame, praticando exercícios físicos e batendo papo com os amigos. Além disso, também é importante evitar o excesso de notícias, restringindo – se possível – o acesso uma a duas vezes por dia.

“Todo mundo está vivendo essa ansiedade, mas é preciso tentar manter o equilíbrio, desacelerar os pensamentos e pensar no bem de todos. Aproveite para fortalecer os laços familiares, resgatando histórias e memórias importantes”, diz Naria.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

ES investiga se morte de paciente foi causada pelo coronavírus

Dia a dia

ES regulamenta doações para combate à covid-19

País

Veja como cada estado determina o isolamento

Dia a dia

Coronavírus: governo do ES distribui kits para municípios