Saiba como vai funcionar a volta às aulas nas faculdades particulares do ES - ES360

Saiba como vai funcionar a volta às aulas nas faculdades particulares do ES

Cinco instituições da Grande Vitória já planejaram como será a volta às aulas no próximo mês, incluindo UVV, Faesa e Multivix. Confira

Maioria das faculdades da Grande Vitória não vai obrigar aluno a frequentar aulas presenciais. Foto: Pixabay

Faculdades e universidades particulares do estado ganharam, nesta quarta-feira (26), um aval do governador Renato Casagrande (PSB) para retornar às aulas presenciais a partir de setembro, após seis meses de paralisação das atividades por causa da covid-19. Embora ainda estejam avaliando os detalhes, muitas já marcaram as datas de retorno e criaram alternativas de aprendizagem para atender às necessidades de estudantes e professores.

No município canela-verde, a Universidade Vila Velha (UVV) já iniciou as aulas do 2º semestre letivo de 2020, com aulas em formato telepresencial até o dia 30 deste mês. Ou seja, os professores já estão na instituição para dar as aulas acompanhadas remotamente pelos alunos. A previsão é que as atividades presenciais retornem no dia 14 de setembro, mas ficará a critério dos estudantes continuar no modelo remoto ou ir até à faculdade.

> Ufes mantém a retomada das atividades de ensino em formato remoto

Nas aulas em que o estudante optar por assistir de forma presencial, a universidade adotará um limite de lotação para cada sala. “Caso a quantidade de interessados em assistir tais aulas presencialmente extrapolar o número máximo seguro de alunos em uma sala, uma escala será implementada para que os alunos excedentes em um dia possam assistir às aulas em um outro dia”, disse a instituição em nota.

A UVV ressalta, ainda, que o uso de máscara será obrigatório para todos que frequentarem o campus, sejam alunos, professores, colaboradores ou demais visitantes. Entre as outras medidas adotadas, estão aferição de temperatura; disponibilização de álcool em gel, que serão distribuídos em locais de grande circulação, como nos corredores e entradas das salas de aula; instalação de tapete sanitizante; desinfecção constante de maçanetas, corrimões e mesas, além de um novo intervalo entre as aulas, evitando, assim, que uma grande quantidade de alunos fique no mesmo espaço.

Todos os professores e funcionários da universidade também estão sendo treinados para cumprir todos os procedimentos de prevenção ao contágio, assim como controle e orientação dos alunos.

Já em Vitória, a Multivix prevê que as aulas presenciais tenham início no mês de setembro, mas a modalidade também será facultativa. Quem quiser continuar participando de casa poderá acompanhar as aulas de forma remota, sem nenhum prejuízo nas notas e presença. Os que preferirem as atividades presenciais, terão a temperatura aferida na entrada; álcool em gel à disposição pelos corredores e acesso a tapetes sanitizantes. O uso de máscaras é obrigatório, e cada aluno deverá levar a sua própria garrafinha de água. Além disso, as salas ficarão abertas sem ar condicionado, sendo que os espaços serão adaptados com revezamento da quantidade de pessoas.

Outra instituição que permitirá a adoção facultativa das aulas presenciais é a Fucape, que deve propor o modelo de aulas híbridas, no qual é permitido que parte dos alunos assista às aulas dentro da sala de aula e outra de casa. Os detalhes do planejamento da grade curricular ficarão, no entanto, à critério dos estudantes. Todas as medidas são extensivas a funcionários e corpo docente.

“Para aqueles que optarem pelas aulas presenciais, a instituição fornecerá kits de proteção individual, contendo máscara, álcool em gel, além de receberem instruções sobre medidas necessárias de prevenção, controle e mitigação de riscos da covid019”, afirmou a instituição em nota. Quanto às avaliações, se o aluno escolher a modalidade 100% telepresencial, fará todas as avaliações à distância. Caso a opção seja pelo sistema híbrido, as avaliações serão realizadas de forma presencial.

A Faesa, por sua vez, realizou uma série de adaptações nos campi e também irá priorizar a realização apenas de aulas práticas dentro da instituição, mantendo parte das disciplinas teóricas no formato digital. Contudo, de acordo com a assessoria da faculdade, não há uma data marcada para o retorno das atividades. Mais detalhes serão divulgados para os alunos nas próximas semanas.

Na Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia (Emescam), ainda não há data definida para o retorno às atividades, que será gradual e, no primeiro momento, também apenas para aulas práticas. Assim que tudo for normalizado, segundo o Plano Estratégico de Prevenção e Controle (PEPC) adotado pela instituição, haverá a marcação de cadeiras nas salas como forma de distanciamento social, instalação de dispensers de álcool em gel pelos corredores, aferição de temperatura, informes sobre medidas de proteção e outras determinações.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Alerta de chuva forte e volumosa no Espírito Santo

País

Ministro do STJ aparece de cueca em sessão virtual da corte

Dia a dia

Saldanha da Gama será sede da Fapes, terá museu virtual e espaço gastronômico

Dia a dia

Aeroporto de Vitória voltará a ter voos para Congonhas em novembro