Referência do violino no país se apresenta na Ufes - ES360

Referência do violino no país se apresenta na Ufes

Músico Ricardo Herz toca nesta sexta-feira ao lado da Camerata Jovem Vale Música. Ele preparou arranjos especiais para o concerto, que terá cantigas populares, como “O Boi da Cara Preta”

Herz ganhou fama internacional por misturar ritmos brasileiros, africanos e jazz. Foto: Rogério Von Kruger/Divulgação
Herz ganhou fama internacional por misturar ritmos brasileiros, africanos e jazz. Foto: Rogério Von Kruger/Divulgação

Considerado um dos músicos responsáveis pela popularização e reinvenção do violino no país, Ricardo Herz participa do concerto “Camerata Jovem Vale Música convida Ricardo Herz”, marcado para sexta-feira, dia 25, às 20h, no Teatro da Ufes, em Vitória.

O repertório reúne composições originais e outras adaptadas de cantigas populares. Ricardo preparou ainda arranjos especialmente para o concerto, como adaptações de “O Boi da Cara Preta”, “O Sapo” e “Marcha Soldado”. “Já que todo mundo conhece essas músicas, adultos ou crianças, quis fazer versões divertidas, sem ser tão óbvias para o público”, conta o músico.

O violinista ganhou fama internacional pela técnica que mistura ritmos brasileiros (forró, choro e samba), africanos e improvisações do jazz. Durante sua formação, depositou seus olhos e ouvidos em Dominguinhos, Luiz Gonzaga, Egberto Gismonti e Jacob do Bandolim – suas maiores referências.

“Meu desafio sempre foi tocar uma música realmente autêntica. Neste caminho, tive que adaptar algumas técnicas e tornar o que componho mais acessível possível. Sim, a música instrumental pode ser acessível”, afirma, entre risos.

Com o passar do tempo, virou referência no assunto e lançou 10 discos, fora seus projetos paralelos. “Hoje, posso dizer que criei uma maneira própria de tocar, mas ainda estou aprendendo. É uma busca eterna”, ressalva.

Dois dos seus discos são voltados especialmente para as crianças: “Folclore Infantil Brasileiro” e “Para Crianças”. “Acredito que a música acrescenta sensibilidade e leveza à forma dos pequenos verem a vida. Aí está a importância de projetos como a Camerata”, defende Ricardo.

Camerata Jovem
Fruto do projeto Vale Música, a Camerata Jovem promove a educação musical para 200 alunos de 7 a 23 anos, na Estação Conhecimento de Serra, em Cidade Continental, e para 80 alunos atendidos no núcleo no Parque Botânico Vale, em Vitória.

Mais notícias
Dia a dia

Saneamento de Cariacica é leiloado com meta de esgoto 100% tratado em 10 anos

País

Governo federal vai comprar 46 milhões de doses da vacina chinesa

Dia a dia

Espírito Santo tem 12 mortes pelo coronavírus e 818 casos em 24 horas

Política

‘Por trás desse broche existe um ser humano’, diz senador do dinheiro na cueca