Quatro candidatos a prefeito de Vitória concentram 93% das verbas de partidos - ES360

Quatro candidatos a prefeito de Vitória concentram 93% das verbas de partidos

Dos R$ 3,1 milhões distribuídos pelos partidos aos candidatos à prefeitura da capital, R$ 2,9 milhões foram para quatro candidatos

As campanhas para eleger o próximo prefeito de Vitória vão movimentar R$ 3,12 milhões somente em recursos distribuídos pelos partidos políticos. Só que apenas quatro candidatos, dos 14 concorrentes, concentram 93% desse montante, o que equivale a R$ 2,9 milhões. Cinco não receberam nenhum valor dos partidos, contam com doações, financiamentos coletivos e aportes do próprio bolso.

A campanha com mais recursos é a do deputado estadual e delegado Lorenzo Pazolini (Republicanos), que recebeu no total R$ 1,2 milhão do partido, sendo R$ 740 mil do diretório nacional e R$ 470 mil do estadual. Em seguida, a candidata com a maior fatia de recursos é Neuzinha de Oliveira, que recebeu R$ 750 mil da sua legenda, o PSDB.

O candidato Sérgio Sá (PSB) também aparece na lista dos que contam com mais recursos. Sua campanha recebeu R$ 500 mil do PSB nacional e outros R$ 40 mil da Rede, partido da candidata a vice-prefeita Laís Garcia. A campanha do candidato João Coser, do PT, teve R$ 441 mil repassados pelo diretório da legenda.

Quem também recebeu recursos de partidos foram os candidatos Namy Chequer (PCdoB) com R$ 120 mil de recurso para a campanha e Gilbertinho (Psol), com R$ 59 mil. O coronel Nylton Rodrigues (Novo) teve receita de R$ 8,3 mil do diretório para a corrida eleitoral. Outros R$ 59 mil que acumula para a campanha foram disponibilizados por pessoas físicas e também por financiamento coletivo.

Cinco não receberam recursos do partidos

Dos cinco candidatos que não receberam nenhum repasse dos partidos, Fabrício Gandini (Cidadania) é o que acumulou mais recursos para a campanha. Até agora, foram R$ 137 mil recebidos em doações de pessoas físicas. O vereador Mazinho dos Anjos (PSB) acumula R$ 54 mil para cobrir gastos da corrida eleitoral, sendo que a maior fatia, R$ 12 mil, o próprio concorrente colocou na campanha. O restante foi acumulado por doação de pessoas físicas e financiamento coletivo.

Halpher Luiggi, do PL, tem declarado à Justiça Eleitoral receita de R$ 12 mil, pagos por ele mesmo. O deputado estadual Capitão Assumção também tem R$ 12 mil para a campanha, com doações de pessoas físicas. Já Raphael Furtado (PSTU) tem declarado R$ 5 mil para a campanha, por doações de pessoas físicas e aporte do próprio concorrente.

Dois candidatos, Eron Domingos (PRTB) e Fábio Louzada (MDB) ainda não prestaram contas à Justiça Eleitoral.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
País

Defensoria do AM reserva 30% das vagas de concursos a negros, indígenas e quilombolas

País

MEC não deve homologar aula remota em 2021

Eleições 2020

Barroso diz que abstenção de eleitores foi maior que o desejável

Política

No país, 17% das cidades não terão vereadora