Puxada por carnes, cesta de natal fica 3,19% mais cara em 2019, diz Fipe - ES360

Puxada por carnes, cesta de natal fica 3,19% mais cara em 2019, diz Fipe

O item que mais aumentou na cesta foi o lombo de porco com osso, cujo preço subiu 24,02% nos 12 meses até a segunda quadrissemana de dezembro

A cesta de 15 itens mais procurados pelos consumidores durante o Natal ficou 3,19% mais cara em 2019 ante 2018, segundo o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A variação foi puxada pela alta dos preços de carnes, que devem fechar o ano com crescimento de até 20% no nível de preços.

> IBGE: carnes sobem 8,09% e têm maior alta desde 2010

Na cesta, o item que mais avançou foi o lombo de porco com osso, cujo preço subiu 24,02% nos 12 meses até a segunda quadrissemana de dezembro.

A variação é quase o dobro da observada no segundo item com maior crescimento, o macarrão espaguete (13,36%), com alta influenciada pela depreciação do real que encarece o trigo importado.

Em uma segunda lista de itens de natal elaborada pela instituição, todas as proteínas mostram avanço. O pernil com osso tem o maior crescimento, de 50,39%, seguido pelo filé mignon, com 46,49%, e pela picanha, com 22,88%.

> Prato feito pesa mais no bolso do brasileiro

Pressionado pelo aumento das outras proteínas, o frango também mostrou alta, de 10,82%.

Neste grupo, o bacalhau também mostrou avanço, de 15,73%.

Mas, segundo o coordenador do IPC, Guilherme Moreira, o item – que é importado – foi pressionado pelo câmbio e os pescados não tem sido usados como substituição às carnes de porco.

Os peixes brasileiros acumulam alta de 1,16% no IPC de 2019.

Estadão Conteúdo

Mais notícias
Dia a dia

Covid-19: Espírito Santo registra 21 mortes e 1.275 casos em 24 horas

Dia a dia

União estuda ceder Teatro Carmélia para governo do ES por 20 anos

Dia a dia

Unipró lança curso de preparação para o Ifes 100% online

Bem-estar

A Escola Bíblica Dominical sob a perspectiva da Igreja Cristã Maranata