Profissional da saúde tem reação alérgica à vacina nos EUA - ES360

Profissional da saúde tem reação alérgica à vacina nos EUA

Caso aconteceu com mulher de meia idade. Ela foi vacinada no Alasca, no segundo dia da campanha de vacinação iniciada nos EUA

Uma profissional da saúde que tomou a vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19 nos Estados Unidos teve uma reação alérgica grave e precisou ser hospitalizada. O caso é o primeiro do tipo com pessoas que não possuem histórico de alergia. Na semana passada, duas pessoas que receberam o imunizante no Reino Unido tiveram reações alérgicas fortes, mas elas já tinham um histórico alérgico conhecido. O caso aconteceu com uma mulher de meia idade. A profissional da saúde foi vacinada ontem na cidade de Juneau, capital do Alasca, no segundo dia da campanha de vacinação contra a covid-19 iniciada nos Estados Unidos. Apenas dez minutos após receber o imunizante, ela teve uma reação anafilática. As informações foram publicadas pelo portal UOL.

A reação se demonstrou com o rubor da pele e falta de ar. Foi preciso um tratamento com epinefrina, medicamento comumente utilizado em casos de reações alérgicas graves. A mulher foi internada para ficar sob observação e se mantinha estável hoje até o último boletim das autoridades de saúde americanas. Segundo a médica Lindy Jones, diretora do departamento de emergência do Hospital Regional Bartlett, onde a paciente foi atendida, os sintomas desapareceram logo após a mulher ser medicada.

“Ela está saudável e bem”, disse Lindy ao New York Times, acrescentando que a paciente não perdeu o entusiasmo por ter sido vacinada. A expectativa é de que ela receba alta ainda hoje. A reação alérgica da profissional da saúde dos Estados Unidos é parecida com à dos pacientes vacinados no Reino Unido que também tiveram reações anafiláticas. Ambos se recuperam, mas motivaram um alerta feito pelas autoridades britânicas sobre a vacina da Pfizer. Na última quarta-feira (9), um dia após o país ter iniciado a vacinação, a MHRA (Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde do Reino Unido) informou que pessoas com alergias excessivas não deveriam receber o imunizante.

A Pfizer lembrou que sua vacina vem com a informação de que pode ser necessário tratamento médico em caso de uma rara reação anafilática. O laboratório americano também informou que ainda está buscando detalhes sobre o caso ocorrido no Alasca.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Espírito Santo pode registrar mais de 450 mortes por covid-19 em janeiro

Dia a dia

Prefeituras da Grande Vitória decidem não voltar com aulas presenciais em fevereiro

Dinheiro

Bolsonaro desafia Doria a zerar imposto sobre combustível

País

Bolsonaro chama Doria de ‘moleque’ e diz que ele e Maia querem sua cadeira para ‘roubar’