Produtores de eventos fazem manifesto para retorno de atividades no ES - ES360

Produtores de eventos fazem manifesto para retorno de atividades no ES

O setor encontra-se proibido de funcionar desde o dia 20 de março devido a pandemia do novo coronavírus

Festa; show; alegria. Foto: Pixabay
Festa; show; alegria. Foto: Pixabay

 

A situação do setor de eventos e entretenimento do Espírito Santo é dramática. Empresários, produtores de eventos, fornecedores e trabalhadores se uniram no movimento #JuntospeloEntretenimentoES e publicaram uma carta manifesto para mostrar o impacto econômico da pandemia do novo coronavírus. Desde junho, o governo do estado dialoga com os representantes do movimento para definir protocolos para um retorno das atividades no estado, mas ainda não há data para liberação.

A Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape) fez uma pesquisa que apontou que 92% dos profissionais de eventos sentiram gravemente o impacto econômico da pandemia, com a estimativa de que mais de 3 milhões de trabalhadores (formais e informais) estão sem renda neste momento. No Espírito Santo, até o final de setembro, aproximadamente 800 datas/eventos terão deixado de acontecer, gerando uma forte perda econômica em um setor que movimenta mais de 40 segmentos da economia.

“E esses números podem ser ainda mais devastadores caso o setor continue proibido de exercer suas atividades no último trimestre de 2020, e o verão 2021. Vale lembrar que somos o único setor que se encontra sem renda e proibido de trabalhar desde o dia 20 março. O efeito desses cancelamentos, evidentemente, foi imediato. Milhares de profissionais que dependiam dessa renda hoje estão em situação de vida precária, além de dezenas de empresas do setor que estão sendo obrigadas a fechar as portas e encerrar suas atividades”, dis o texto do manifesto, assinado pelo movimento #JuntospeloEntretenimentoES.

Na carta-manifesto, os representantes do movimento destacam que o segmento é formado basicamente por micro, pequenas e médias empresas, além de profissionais autônomos. Por isso sentem bastante a crise, principalmente por não terem fácil acesso a linhas de créditos.

O movimento frisa que desde junho representantes do #JuntospeloEntretenimentoES se reúnem com o governo do estado. E apesar de diversos protocolos de segurança terem sido apresentados às autoridades, nenhum planejamento ou plano de retomada foi apresentado pelo governo. Isso aumenta a insegurança e os prejuízos dos profissionais do setor.

“Com relativa melhora dos números da pandemia no estado, e na falta de um entretenimento seguro e com protocolos, as pessoas têm passado a procurar entretenimentos clandestinos, além de se aglomerarem em locais como praia, bares etc., o que pode piorar ainda mais a situação de empresas/empresários sérios e que querem propor/fazer uma retomada gradual e segura”, ressaltou o movimento.

A Secretaria da Saúde informa que está preparando os protocolos para a retomada dos eventos, mas ainda não há data para liberação. A Sesa esclarece que está em diálogo com os setores envolvidos nesta preparação do protocolo.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Deputado pede investigação de Heleno por monitorar ambientalistas

Dia a dia

Covid-19: Espírito Santo volta a registrar mil casos em 24 horas

Dia a dia

Mortes violentas no Espírito Santo crescem em ritmo maior que no Brasil

País

Lewandowski nega recurso da Globo e manda ao TJ do Rio caso das “rachadinhas”