Procon de Vitória vai investigar aumento da gasolina nos postos - ES360

Procon de Vitória vai investigar aumento da gasolina nos postos

Procon quer averiguar se houve antecipação do aumento do valor dos produtos antes mesmo de as refinarias e distribuidoras colocarem em prática o reajuste

Puxada por alimentos e gasolina, inflação sobe 0,64% em setembro. Foto: Pixabay
Combustível. Foto: Pixabay

Equipes do Procon de Vitória começaram uma operação para acompanhar o preço dos combustíveis nos postos da capital. O objetivo da ação, chamada de “Operação Lightning McQueen”, uma alusão ao personagem principal do filme “Carros”, da Disney, é identificar se houve antecipação do aumento do valor dos produtos antes mesmo de as refinarias e distribuidoras colocarem em prática o reajuste.  Tal medida configura-se infração ao artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor (CDC): elevar sem justa causa o preço de produtos ou serviços.

Na quinta-feira passada (18) foi anunciado pela Petrobras novo aumento do valor do combustível nas refinarias. O valor do litro da gasolina subiu mais de 10% nas refinarias, chegando a R$ 2,48. O diesel subiu 15,2%, chegando a R$ 2,58. Na sexta (19), o litro já estava sendo encontrado a R$ 5,40 na Grande Vitória. A companhia explicou que os reajustes fazem parte do alinhamento de preços com o mercado internacional e com a oscilação do dólar. A última alta, de um total de 34% só em 2021, provocou mudanças no comando da Petrobras. Na sexta à noite, Bolsonaro indicou o nome do general Silva e Luna, que atua no comando da Itaipu, para a presidência da estatal.

> Decreto de Bolsonaro obriga postos a informar composição de preços de combustíveis

Na avaliação do Procon e economistas, o preço do combustível nas refinarias e distribuidoras deve refletir no preço final para o consumidor. Por isso, só pode ser repassado se o combustível presente nas bombas de abastecimento e nos tanques de armazenamento do posto tiverem sido adquiridos com o novo valor.

> Entenda as consequências da queda das ações da Petrobras no mercado financeiro

A gerente do Procon Vitória, Denize Izaita, explicou que os proprietários dos postos de combustíveis têm que apresentar à equipe de fiscalização as seguintes exigências: a nota fiscal de todos os combustíveis compreendendo o período de 15 a 22 deste mês e a planilha dos valores que praticaram na comercialização dos combustíveis (preço de venda ao consumidor final) do dia 15 até esta segunda-feira (22), comprovando-os através de nota/cupom fiscal de vendas no período matutino, vespertino e noturno.

Denize Izaita informou, ainda, que os proprietários devem comprovar, por meio de notas fiscais, os valores de compra que justifiquem um eventual aumento no preço.

“No Brasil, vivemos num sistema de comércio livre, os preços são um reflexo da verdadeira oferta e procura e são a única causa determinante da alocação de recursos. Não podemos agir no controle de preços, mas atuar para que haja respeito ao CDC, e combater práticas abusivas e criminosas é o nosso dever”, destacou ela.

Izaita justifica que apesar dos preços dos combustíveis não serem tabelados, essa prática se configura como violação aos direitos do consumidor. “Os donos de postos de combustíveis devem repassar os reajustes apenas quando adquirirem combustíveis com preço maior”, finalizou.

O Sindipostos foi procurado para comentar o assunto, mas ainda não deu retorno.

Entrevista

Em entrevista concedida à BandNews FM Espírito Santo, a gerente do Procon de Vitória, Denise Izaíta, comentou sobre a operação de fiscalização nos postos de combustíveis da capital. Confira.

 


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Covid-19: taxa de isolamento social cai para 31% no ES

Bem-estar

Brasil tem 3% da população vacinada contra o coronavírus

Esportes

Paulistão terá VAR em todos os jogos e R$ 5 mi ao campeão

Esportes

Craque e revelação, Claudinho protagoniza premiação do Brasi