Praia de Camburi: Píer será reconstruído até o verão

A estrutura dá acesso às escunas para passeios turísticos

Publicado em · Atualizado há 1 semana

Píer anexo ao Píer de Iemanjá, em Vitória, será reconstruído. Foto: Chico Guedes
Píer precisa ser reconstruído para garantir acesso de escunas. Foto: Chico Guedes

Destruído há pouco mais de um mês por uma forte ressaca que atingiu o litoral do Estado, o píer anexo ao de Iemanjá, na praia de Camburi, em Vitória, será reconstruído até o verão. A estrutura dá acesso às escunas para passeios turísticos.

Além do píer, uma das escunas que fica no local foi danificada e também será recuperada. Depois de ter cabos e até a âncora furtados, parte traseira do barco chegou a afundar.
O proprietário da escuna Cores do Mar, Ricardo Capiche, explica que os prejuízos causados tanto pela ressaca quanto pelos furtos são difíceis de estimar, já que os passeios não estão sendo realizados.

“Vamos reestruturar o píer e toda a área de forma a atender os requisitos exigidos pela Marinha e Capitania dos Portos, que fazem a inspeção”, disse Ricardo.

Na alta temporada, dois barcos fazem passeios diariamente pelos pontos turísticos de Vitória e Vila Velha, com capacidade para 80 pessoas. A viagem dura cerca de três horas, saindo de Camburi em direção ao Museu da Vale, em Vila Velha, passando pela baía de Vitória. A empresa conta que o trajeto turístico é oferecido há 22 anos.

Para ser liberado, o projeto do píer precisa ser analisado pela Capitania dos Portos, órgão que autoriza as obras sobre águas. Procurada, a Capitania não comentou oficialmente o assunto.

Já prefeitura de Vitória informou que a liberação do píer é de responsabilidade da Capitania.