Polícia prende seis suspeitos de envolvimento em ataque em Vitória - ES360

Polícia prende seis suspeitos de envolvimento em ataque em Vitória

Morte de adolescente envolvido com tráfico motivou a onda de ataques

O secretário Estadual de Segurança Pública do Espírito Santo, Roberto Sá, declarou em entrevista coletiva, na tarde desta sexta-feira (14), que seis suspeitos de terem participado da onda de violência em Vitória foram detidos.

A Polícia Civil informou que um suspeito, 28 anos, foi detido pela equipe da DFRV (Divisão Especializada de Furtos e Roubos de Veículos), foi autuado em flagrante por dano ao patrimônio público com produto inflamável, tentativa de incêndio, organização criminosa armada e corrupção de menores. Ele foi encaminhado ao CTV (Centro de Triagem de Viana).

> Governador garante que policias não realizam ‘operação padrão’

Outro adolescente, 16 anos, que também participou da ação, responderá por ato infracional análogo ao crime de dano ao patrimônio, tentativa de incêndio e organização criminosa. Ele foi apresentado à Justiça.

> Criminosos destroem carro da TV Vitória na Serafim Derenzi

Ainda de acordo com a Polícia Civil, outros quatro suspeitos, 18, 20, 27 e 28 anos, foram detidos no bairro Bonfim pela equipe do DEIC (Departamento Especializado de Investigações Criminais). Eles foram autuados em flagrante por associação ao tráfico de drogas, informante do trafico de drogas e associação criminosa. Eles serão encaminhados para o CTV. Já o adolescente, 16 anos, assinou o BOC (Boletim de Ocorrência Circunstanciado), por ato infracional análogo ao crime de associação para o trafico de drogas, informante do tráfico de drogas e associação criminosa e será reintegrado à família.

Entenda

A motivação da “onda de terror”, como classificou Roberto Sá, foi o assassinato de Caio Mateus Silva Santos, de 17 anos, que mantinha envolvimento com o tráfico de drogas. Segundo o secretário, o jovem foi morto durante uma operação realizada durante madrugada, no Complexo da Penha. O jovem foi levado ao hospital horas mais tarde, por volta de 8h30, mas não resistiu aos ferimentos.

Os ataques forçaram lojistas a fecharem o comércio. Um ônibus do transporte público foi incendiado. De acordo com o secretário, os bandidos usaram fogos de artifício e disparam contra carros estacionados no local.

O bairro da Penha, um dos acessos ao morro onde a operação foi realizada, está sob ocupação policial desde o dia 5 de fevereiro. Segundo o comandante-geral da Polícia Militar do estado, coronel Márcio Eugênio Sartório – que também participou da entrevista coletiva -, a ocupação também pode ter contribuído para a ação criminosa.

Mais cedo, o governado do Espírito Santo, Renato Casagrande, afirmou em rede social que “a polícia atuará com mais força ainda”, citando a intensidade do ataque criminoso.

Com informações da Agência Brasil


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Espírito Santo libera aulas nas escolas a partir de 5 de outubro

Dia a dia

Covid-19: registro de mortes sobe e chega a 26 em 24 horas no ES

País

Saúde: Brasil ultrapassa marca de 140 mil mortes por covid-19

Dia a dia

Transcol volta a circular com 100% da frota em outubro