PMs são presos com drogas e armas falsas em operação do MPES - ES360

PMs são presos com drogas e armas falsas em operação do MPES

Dois policiais militares eram alvos da operação e estava sendo investigados por crimes militares, dentre eles corrupção passiva em investigação

Dois policiais militares foram presos em flagrante na manhã desta quinta-feira (15) com posse de drogas e armas falsas durante operação do Ministério Público do Espírito Santo (MPES). Os dois policiais militares eram alvos da operação e estava sendo investigados por crimes militares, dentre eles corrupção passiva em procedimento investigatório criminal.

O cumprimento dos mandados de busca e apreensão foram feitos pela Promotoria de Justiça junto à Auditoria Militar e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO-Central), com cooperação da da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo.

Segudo o MPES, as investigações a respeito dos policiais militares decorrem de encontro de provas em operação do Gaeco denominada Patrem (combate a associação criminosa com atuação em Cariacica e região da Grande Vitória), que teve a fase 2 deflagrada também nesta quinta-feira (15).

Segundo a PMES, o objetivo era o cumprimento de mandando de busca e apreensão nas residências de dois militares, que estariam envolvidos de alguma forma nas investigações do MPES. “Como os policiais estavam saindo do expediente operacional, também foram checados pertences pessoais e a viatura que era utilizada, sendo encontrados entorpecentes e simulacro de arma de fogo na posse dos dois. Eles foram conduzidos até a sede da Corregedoria-Geral onde serão autuados. O procedimento ainda está em andamento”, informou a PMES, em nota.

Patrem

De acordo com o MPES, a investigação foi instaurada pelo Gaeco do MPES com o objetivo de desarticular a atuação de grupos criminosos que estão agindo de forma organizada e contínua, planejando e executando crimes, em especial o tráfico de entorpecentes e crimes a ele conexos, notadamente no município de Cariacica, bem como de colher provas das atividades criminosas dos integrantes de tal associação.

Durante todo o período de investigação, o Gaeco foi diretamente auxiliado pela Polícia Militar. Com o monitoramento foi possível interceptar e gravar várias conversas entre os investigados, em que eram discutidos abertamente detalhes da comercialização de substâncias entorpecentes, forma como são obtidos os recursos financeiros necessários para a manutenção de suas atividades, bem como posse e porte ilegal de armas de fogo e aliciamento de adolescentes para a prática de tais crimes.

As diligências investigativas começaram em março de 2020 e permitiram colher evidências suficientes para que os promotores de Justiça envolvidos na investigação conseguissem obter decisão favorável do Juízo da 2ª Vara Criminal de Cariacica para o cumprimento de 18 mandados de prisão preventiva e 19 mandados de busca e apreensão em Cariacica, Vitória e Viana.

Até o momento foram presas seis pessoas. Os materiais e provas de crimes colhidos em cumprimento da ordem judicial de busca e apreensão serão analisados pelo Ministério Público em complementação às provas cautelares já produzidas, para fins de oferecimento de denúncia ao Juízo competente.

Participaram dos trabalhos de deflagração da fase ostensiva da Operação “Patrem” 96 policiais militares, que atuaram na prisão e condução dos investigados, buscas e apreensão de objetos.

 


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Prefeito de Vitória, Luciano Rezende, testa positivo para covid-19

Dia a dia

Covid: governo do ES vai pedir ao TRE proibição de comícios e passeatas

Dia a dia

Brasil ainda está longe de superar 1ª onda da covid-19

Dia a dia

VÍDEO: veículo explode e deixa um morto em Vitória