PM é morto em perseguição na avenida Brasil, no Rio - ES360

PM é morto em perseguição na avenida Brasil, no Rio

Policiais do 14º Batalhão tentaram interceptar o carro quando houve troca de tiros; o sargento chegou a ser socorrido mas não resistiu aos ferimentos

A equipe tentou interceptar o carro na Avenida Brasil quando iniciou a troca de tiros Foto: Reprodução/Google Street View
A equipe tentou interceptar o carro na Avenida Brasil quando iniciou a troca de tiros Foto: Reprodução/Google Street View

O policial militar Cirio Damasceno Santos, de 51 anos, foi morto na manhã desta segunda-feira, 12, após ser atingido por um tiro na cabeça durante perseguição a criminosos pela Avenida Brasil, na zona norte do Rio de Janeiro. O crime aconteceu próximo à favela do Muquiço.

Segundo informações da Polícia Militar (PM), policiais do 14ºBPM (Bangu) iniciaram cerco a um veículo suspeito que trafegava pela avenida no início da manhã. A equipe tentou interceptar o carro, quando iniciou a troca de tiros. Na ação, a viatura da PM chegou a capotar na via. Os criminosos conseguiram fugir para o interior da favela.

O sargento chegou a ser socorrido e levado ao Hospital Municipal Albert Schweitzer, mas não resistiu aos ferimentos. Outra pessoa ferida também foi encaminhada ao hospital, mas não há informações sobre ela.

Após a perseguição, a Polícia Militar iniciou uma operação na favela do Muquiço. Dois suspeitos foram presos e um foi baleado. Duas armas de fogo, drogas e rádios transmissores foram apreendidos. A ação prossegue nesta tarde.

O sargento Cirio Damasceno Santos era casado e estava lotado no 14º BPM. Ele havia ingressado na PM há 20 anos. Ainda não há informações sobre o sepultamento.

Estadão Conteúdo


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Tec

Estudo pode dar origem a teste capaz de prever se paciente com covid-19 será hospitalizado

Dinheiro

Espírito Santo recebe R$ 191,5 milhões em acordo com a Petrobras

Mundo

Imunidade após infecção pela covid-19 pode durar pouco tempo, sugere estudo

Política

Bolsonaro reúne ministros no Conselho de Governo