PF faz buscas contra incendiários que combinam por aplicativos ataques à floresta - ES360

PF faz buscas contra incendiários que combinam por aplicativos ataques à floresta

Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em residências e estabelecimentos ligados aos suspeitos

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta terça-feira (22), em Novo Progresso, no Pará, a Operação Pacto de Fogo que visa colher novas provas em investigação sobre associação criminosa suspeita de praticar crimes ambientais em reservas e Unidades de Conservação Federais na Amazônia.

> Relatos indicam que incêndios na Amazônia são criminosos

Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em residências e estabelecimentos ligados aos suspeitos. O objetivo é alcançar “novos elementos de informação sobre os crimes em apuração”.

As investigações tiveram início a partir da divulgação, pela imprensa, de que fazendeiros e produtores rurais da região de Novo Progresso teriam combinado a execução do chamado “Dia do Fogo”. Em 10 de agosto seriam iniciados incêndios em diversas localidades, inclusive Unidades de Conservação Federais na região.

De acordo com a Comunicação Social da PF, a operação recebeu o nome “Pacto de Fogo” ante a divulgação pela imprensa local e nacional de que diversas pessoas teriam combinado, em grupos de aplicativos de mensagem, a data para as ações criminosas.

Com Estadão Conteúdo

Mais notícias
Eleições 2020

Com suspeita de covid, Gandini suspende agenda de campanha em Vitória

Eleições 2020

Após denúncias de disparos em massa, 256 contas são banidas do WhatsApp

País

DOU extra traz revogação de decreto sobre PPI na saúde pública

Dia a dia

Covid-19: Espírito Santo tem 9 mortes e 788 casos em 24 horas