Pelo menos a pandemia não nos tirou o direito de reclamar - ES360

Pelo menos a pandemia não nos tirou o direito de reclamar

O ano de 2020 foi praticamente inteiro de quarentena. O assunto não é outro desde fevereiro e muita gente já chegou no limite (até se arriscando a voltar sua vida ao normal, mesmo contra a indicação das autoridades).

Para não ficarmos loucos, que tal reclamar um pouquinho como forma de catarse?

A quarentena deu mais tempo para as pessoas ficarem em casa opinando sobre a vida alheia, discutindo amenidades (como por exemplo o gênero certo da COVID-19) e principalmente criando conteúdos.

Por um lado isso aproxima no distanciamento social, mas depois do centésimo dia de confinamento não há sanidade que resista ao milésimo post de gente pintando parede, malhando em casa ou mostrando panela no fogão.

Sair de casa

Além do celular, da carteira ou bolsa e das chaves, agora a gente precisa lembrar também da máscara. É mais corriqueiro que gostaríamos, mas quem nunca chegou no portão de casa e lembrou deste acessório?

Quando se mora em prédio sem elevador é pior ainda. Lá vai você subindo os degraus possuído pelo mais puro ódio próprio, xingando sua burrice. Depois ainda você precisa descer tudo de novo de máscara, sem conseguir respirar direito, parecendo que contraiu Coronavírus.

Daí começa a paranóia também. Você transitou em uma área comum desprotegido e não lembra se coçou o nariz e os olhos. “Passei álcool antes de pegar a máscara? Será que minha maçaneta está infectada agora? Será que eu peguei? Minha máscara é segura?

O inferno são os outros

Daí você está em casa, enfurnado, seu sofá já fez um buraco, sua tv não desliga o dia todo, seu celular precisa ficar na tomada de tanto que você usa e o seu vizinho chega da praia ou recebe visita.

O senso de injustiça toma conta do seu ser e você não para de pensar que seu esforço pode ser em vão, já que o vírus vem até você. Definitivamente as relações interpessoais são uma das coisas que mais estão sendo afetadas ultimamente. Quantas amizades enfraquecidas e relacionamentos terminados ouvimos falar, não é mesmo?

Para relaxar um pouco

Acho que o principal fator de insanidade mental no isolamento é não ter com quem conversar sobre essas coisas, então nós do Dudecast decidimos nos reunir para falar mal do Corona. Ouça e veja se falamos de algo que também te incomoda.

Novidade

Agora ficou mais fácil entrar em contato com os dudes e trocar uma ideia sobre os novos episódios. Criamos um grupo de ouvintes no Telegram!

O Dudecast é o podcast principal do The Dudes, que conta com mais quatro programas ao todo. A proposta do Dudecast é trazer para o público assuntos da cultura pop e de assuntos do dia a dia com bom humor. Histórias de família, casos cotidianos e situações inusitadas que fazem o público se identificar envolvem grande parte das pautas. Além disso, discutimos sobre séries, filmes, música e cultura pop em geral, também de forma bem humorada. Fazem parte da bancada fixa do programa Raphael Marques, Andrey Mattos, Diego Birth e Henrique Henning.

Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do ES360.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais Colunas