Parentes da ex-mulher de Bolsonaro, que trabalharam para Flávio, são investigados - ES360

Parentes da ex-mulher de Bolsonaro, que trabalharam para Flávio, são investigados

A operação apura suposto esquema de lavagem de dinheiro e peculato o gabinete de Flávio na Alerj

Caso Queiroz: MP retoma investigação com foco em Flávio Bolsonaro. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Parentes da ex-mulher de Bolsonaro, que trabalharam para Flávio, são investigados. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

A operação de busca e apreensão realizada pelo Ministério Público do Rio na manhã desta quarta-feira (18), atingiu o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), Fabrício Queiroz, e a ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle. Também tiveram os endereços visitados pelos agentes nove parentes de Ana Cristina, a mulher e a enteada de Queiroz.

Todos estiveram lotados no gabinete de Flávio em diferentes momentos de seu mandato na Assembleia Legislativa do Rio, entre 2003 e 2018, e estão entre os que tiveram os sigilos bancário e fiscal quebrados pela Justiça Rio, a pedido do Ministério Público, em maio deste ano.

A operação se dá no âmbito da investigação que apura suposto esquema de lavagem de dinheiro e peculato no gabinete de Flávio na Alerj quando ele era deputado estadual.

Veja quem são os atingidos pela ação:

Ana Cristina Siqueira Valle: casada com Bolsonaro por dez anos, entre 1998 e 2008, tem nove parentes investigados no inquérito do MP que apura um suposto esquema de repasse de salários de servidores a deputados da Assembleia Legislativa do Rio.

Fabrício Queiroz: ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Alerj, pivô da investigação ao ter uma movimentação financeira suspeita detectada pelo Coaf.

Marcia Aguiar, mulher de Queiroz: trabalhou no gabinete de Flávio na Alerj.

Evelyn Mayara, enteada de Queiroz: trabalhou no gabinete de Flávio na Alerj.

José Procópio Valle, pai de Ana Cristina e ex-sogro de Bolsonaro: trabalhou no gabinete de Flávio na Alerj e no de Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados.

Andrea Siqueira Valle, irmã de Ana Cristina, ex-cunhada de Bolsonaro: trabalhou no gabinete de Flávio na Alerj e no de Bolsonaro na Câmara.

Francisco Diniz, primo de Ana Cristina: trabalhou no gabinete de Flávio na Alerj.

Juliana Vargas, prima de Ana Cristina: trabalhou no gabinete de Flávio na Alerj e no de Bolsonaro na Câmara.

Daniela Gomes, tia de Ana Cristina: trabalhou no gabinete de Flávio na Alerj.

Guilherme dos Santos Hudson, tio de Ana Cristina: trabalhou no gabinete de Flávio na Alerj.

Ana Maria Siqueira Hudson, tia de Ana Cristina: trabalhou no gabinete de Flávio na Alerj.

Maria José de Siqueira e Silva, tia de Ana Cristina: trabalhou no gabinete de Flávio na Alerj.

Marina Siqueira Diniz, tia de Ana Cristina: trabalhou no gabinete de Flávio na Alerj.

Defesas

A defesa de Fabrício Queiroz se disse surpresa com a medida de busca e apreensão. Em nota, o advogado Paulo Klein, que representa Queiroz, afirmou que está tranquilo. O espaço está aberto para as manifestações de defesa dos outros citados.

Estadão Conteúdo

Mais notícias
Dia a dia

Som, churrasco… o que (não) pode nas praias

País

Vídeo: Secretário de Cultura cita discurso nazista de Joseph Goebbels

País

Justiça autoriza Backer a retomar produção parcial

Dinheiro

INSS: pedido de aposentadoria aumenta 60% no ES