Palmeiras bate o Fortaleza e segue a busca pelo Flamengo - ES360

Palmeiras bate o Fortaleza e segue a busca pelo Flamengo

Em jogo morno sem grandes emoções, a vitória do time paulista veio no segundo tempo com gol de Willian após cobrança de escanteio

Palmeiras
A vitória deixa o Palmeiras em segundo na tabela, três pontos atrás do líder Flamengo. Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Com futebol nada brilhante e gol de bola parada, o Palmeiras somou neste domingo, no Castelão, três pontos muito importantes no Campeonato Brasileiro. A equipe alviverde ganhou por 1 a 0 do Fortaleza e se manteve firme na disputa pelo título da competição. Em uma rodada que teve vitória do líder Flamengo no sábado, o resultado na capital cearense é fundamental para se manter apenas três pontos atrás do primeiro colocado.

> Vasco sai atrás, reage e empata com o Athletico-PR em casa
> Goiás bate Flu por 3 a 0 e deixa o rival na zona de rebaixamento

Vice-líder, o Palmeiras venceu graças a um gol de Willian, no começo do segundo tempo. Isso salvou a equipe de retornar de Fortaleza com um empate por 0 a 0, embora pelo nível técnico da partida o placar sem gols seria justo. Os dois times fizeram um jogo de poucas emoções. Prevaleceu o oportunismo do time alviverde contra a falta de qualidade do Fortaleza para finalizar.

Os dois times sentiram uma enorme falta dos desfalques no Castelão. Com baixas ofensivas, as equipes fizeram uma partida de pouca emoção e sem qualidade no ataque. A ausência no Fortaleza de Wellington Paulista e Felipe Pires deixou o time com pouco entrosamento, enquanto o Palmeiras, sem contar com Dudu, diminuiu a capacidade de furar a defesa adversária.

O técnico Mano Menezes escalou Zé Rafael na vaga de Dudu, porém isso não deu resultado. O Palmeiras avançava bem até o ataque, mas depois, no trecho final do campo, a jogada desandava. Faltavam velocidade e drible para surpreender os zagueiros. O time tentava compensar essa falha com muitos passes para o lado, sem levar perigo ou sequer arriscar um chute a gol para surpreender.

> Ronaldo e Messi disputam hegemonia na premiação da Fifa

A pouca criatividade fez o primeiro tempo terminar sem gols. No entanto, isso logo mudou graças a uma bola parada e ao oportunismo do Palmeiras. Em um escanteio aos dois minutos da etapa final, a bola caiu nos pés de Willian, que chutou cruzado e contou com um desvio para marcar. A vantagem melhorou o jogo, pois o Fortaleza resolveu se arriscar mais, apesar das limitações.

Mesmo com a vitória parcial, o Palmeiras errava por continuar sem alternativas para o contra-ataque. O time não tinha opções de velocidade e buscou consertar o problema ao buscar substituições em outros setores. O meia Lucas Lima entrou para dar mais qualidade no passe e o centroavante Deyverson teve como papel ajudar a segurar a bola. Ainda assim, o time não evoluiu.

O Fortaleza pressionou mais no segundo tempo. O lateral-direito Tinga deu bastante trabalho e as bolas paradas assustavam. Enquanto isso, o Palmeiras se via acuado. O atacante Carlos Eduardo entrou como aposta para dar velocidade nos contra-ataques e finalmente o time conseguiu voltar a ameaçar. O problema foi a falta de pontaria e até alguns lances bisonhos, como furadas e erros técnicos.

Nos minutos finais o Palmeiras conseguiu segurar o resultado pela qualidade da defesa e também pela limitação técnica do Fortaleza em criar perigo. Pelo menos a equipe de Mano Menezes iniciou o segundo turno com vitória.

O Palmeiras voltará a campo pelo Brasileirão na próxima quinta-feira, quando receberá o CSA, às 19h15, no Pacaembu, em São Paulo. Já o Fortaleza, que estacionou nos 23 pontos, terá pela frente no mesmo dia o Athletico, às 21h30, na Arena da Baixada, em Curitiba.

Estadão Conteúdo

Mais notícias
Dia a dia

Instituto emite alerta de chuva intensa para o Espírito Santo

Dia a dia

Espírito Santo é favorável a distribuir todas as vacinas disponíveis contra a covid

Dia a dia

Só 12% dos cursos superiores do ES recebem nota máxima no Enade

Dia a dia

Saneamento de Cariacica é leiloado com meta de esgoto 100% tratado em 10 anos