Orla de Itaparica e Itapuã pode ter menos quiosques - ES360

Orla de Itaparica e Itapuã pode ter menos quiosques

Proposta é de construir 20 módulos, mas somente 17 interessados participaram do processo de licitação dos novos quiosques. Secretário não descarta diminuir número de estrutura ou abrir outra concorrência

Treze dos atuais concessionários participam da licitação. Foto: Chico Guedes
Treze dos atuais concessionários participam da licitação. Foto: Chico Guedes

Em vez de 20, a orla de Itapuã e Itaparica, em Vila Velha, pode passar a ter apenas 17 quiosques após a demolição dos 46 módulos atuais determinada pela Justiça. Nessa quarta-feira, a prefeitura abriu a licitação para seleção dos novos concessionários e somente 17 participaram. O secretário municipal de Administração, Rafael Gumiero, afirmou que, por conta disso, o número de novos quiosques pode ser reavaliado. “Há necessidade de ter 20? Não. De repente, podemos ter 17. Ou abrir uma nova concorrência. Vamos avaliar o que fazer”, explicou.

A expectativa da prefeitura é concluir a licitação para a escolha dos novos concessionários até o fim de novembro. Cada concessionário ficará responsável pela construção de um quiosque e terá direito de uso do espaço por 20 anos. Após a assinatura dos contratos, eles deverão entregar os módulos prontos em até seis meses. O prazo final dado pela Justiça é agosto de 2020.

A decisão estabeleceu parâmetros para as construções, mas o quantitativo foi definido por estudos de engenharia contratados pela prefeitura e, por isso, pode mudar, disse o secretário.

A avaliação da documentação entregue ontem deve ser concluída até a semana que vem. Depois, é feita a análise técnica das propostas, que estabelece uma pontuação para cada concorrente – etapa que deve ser concluída até 18 de novembro. E, por último, será feito um sorteio para definir quem ficará com cada uma unidade. A data prevista para o sorteio é 28 de novembro.

Um dos concorrentes, o presidente da Associação dos Proprietários de Quiosques, Paulo Roberto Neves, disse que pelo menos 13 dos atuais concessionários estão participando da licitação. Também se inscreveram donos de restaurantes da cidade. “Muitos se assustaram com o valor da obra e não participaram. Mas acredito que vamos conseguir fazer por menos e contar com patrocínios”, explicou.

O edital estima um custo de R$ 562 mil para construção de cada quiosque. Mas, segundo Paulo, foram solicitados outros orçamentos que apontaram um custo de cerca de R$ 300 mil.

Demolições começam até o dia 1º

A demolição dos atuais 46 quiosques deverá ter início até o dia 1º de novembro, segundo prazo dado pela Justiça. O secretário de Administração de Vila Velha, Rafael Gumiero, garantiu que a prefeitura vai cumprir a decisão, mas não detalhou o cronograma de demolições. Disse, apenas que vai começar pelos quiosques inativos e em situação irregular e, depois, pelos que impossibilitem a construção dos novos módulos.

Mais notícias
Dia a dia

Covid: governo sugere a planos de saúde a compra de leitos particulares

Dia a dia

Justiça determina que Renova mantenha contrato com rede de pesquisa da Ufes

Dia a dia

Ifes: a chance de fazer o ensino médio de excelência em 2021

Dia a dia

Mapa de Risco continua com apenas uma cidade em risco moderado