Online, Cinefoot realiza 11ª edição com recorde de filmes e foco na negritude - ES360

Online, Cinefoot realiza 11ª edição com recorde de filmes e foco na negritude

São 76 produções, sendo 59 brasileiras, de todas as regiões do País, e 17 internacionais

Primeiro festival de cinema de futebol da América Latina, o Cinefoot chega à 11.ª edição, que será iniciada nesta sexta-feira, sob o marco de número inéditos de filmes e de importantes homenagens. Será, afinal, pela primeira vez online e, ainda que com as dificuldades impostas pela pandemia, com um recorde de filmes participantes, muitos deles relembrando a conquista do bicampeonato da Copa Libertadores pelo Flamengo em 2019. E com reconhecimento a figuras negras do esporte, além da lembrança de efemérides importantes, como os 50 anos do tricampeonato mundial da seleção brasileira e os 70 anos da inauguração do Maracanã.

Não é uma coincidência, aliás, que o Cinefoot comece nesta sexta-feira, o Dia da Consciência Negra. Afinal, a cultura negra sempre esteve associada ao futebol. E nada mais natural que um festival que aborde a modalidade tenha filmes e debates que discutam e reflitam essa temática. Por isso, em sua 11.ª edição, terá foco especial em vozes negras do futebol, tanto na programação como em debates e depoimentos.

O curta-metragem 'Aqui é Flamengo' viaja a um distrito cearense chamado de Flamengo, em referência ao time Foto: Divulgação
O curta-metragem ‘Aqui é Flamengo’ viaja a um distrito cearense chamado de Flamengo, em referência ao time Foto: Divulgação

“O futebol brasileiro tem que estar ao lado da causa do povo negro. O Cinefoot faz isso desde a primeira edição. Não tem como o futebol estar desconectado dos negros do Brasil”, observa Antonio Leal, diretor e idealizador do festival. “Tratar o futebol além das quatro linhas. Gostamos de tocar na ferida, que a programação gere discussão”, acrescentou, em entrevista ao Estadão.

O festival, inclusive, vai homenagear o goleiro Barbosa, marcado injustamente pela derrota do Brasil na Copa do Mundo de 1950, com a sua filha Tereza, que mora em Praia Grande (SP) recebendo a Honraria Gol de Placa 2020. Outro lembrado é o Negritude F.C., um time amador de São Paulo, que completa 40 anos e que levou a cultura dos movimentos negros para a várzea.

A programação conta com o recorde de 76 filmes, sendo 59 brasileiros, de todas as regiões do País, e 17 internacionais, mesmo com a chamada para inscrições tendo se iniciado nos primeiros meses da pandemia do coronavírus, em um período de muita incerteza. Além disso, os organizadores precisaram superar dificuldades impostas por restrições de exibições de filmes online.

E com a lista de participantes fechada, foi necessário ampliar o período do festival para acomodar todos os filmes. Começando nesta sexta-feira, o Cinefoot só irá se encerrar em 27 de novembro, completando um período de oito dias de exibições através da plataforma Innsaei. Serão, no total, 38 horas de programação, distribuídas em 31 sessões. Além disso, o festival é gratuito e os filmes estarão disponíveis em um período que vai variar entre dois e seis dias.

O Flamengo campeão na Libertadores de 2019, em Lima, é tema de 8 filmes, sendo 5 participantes da disputa competitiva. E por uma coincidência, o festival ocorre na mesma semana do aniversário de um ano da conquista, em 23 de novembro, sobre o River Plate.

Com isso, a organização do festival programou filmes sobre o tema nas cinco sessões da segunda-feira. “Já esperávamos isso (a presença de vários filmes sobre o Flamengo campeão da Libertadores). E não foram todos selecionados, alguns ficaram de fora. No ano seguinte de alguma conquista, o audiovisual repercute e reflete sobre isso”, comentou.

Além das competitivas, o Cinefoot organizou mais 12 mostras: 50 anos do Tri em Foco, 70 anos do Maracanã em Foco, Acessibilidade em Foco, ESPN em Foco, Geraldinos & Arquibaldos em Foco, Homenagem – 40 anos A.S. Roma em Foco, Homenagem – México em Foco, Mostra Dente-de-leite, Museu da Pelada em Foco, Museu do Futebol – Pelé 80 em Foco, Pernambuco em Foco e Série em Foco.

Também haverá uma sessão especial para o formato seriado, com a estreia de “Donas do Baba”, dirigida por Tais Bichara e Rodrigo Luna. Se trata de uma série documental com histórias e rotinas de mulheres que têm diferentes relações com o futebol. Além disso, estão previstos bate-papos com convidados, em mesas-redondas organizadas por Museu do Futebol, LEME/UERJ-Laboratório de Estudo em Mídia e Esporte, Ludopédio e Centro de Artes UFF-Universidade Federal Fluminense.

A abertura do festival se dá às 21h30 desta sexta com a exibição do filme argentino “Loteca”. No mesmo horário e daqui a uma semana, o Cinefoot termina com o italiano “A Última Partida de Pasolini”. A programação completa do festival pode ser acessada aqui.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
País

Apenas 4,7% dos filhos de pais sem instrução terminam o ensino superior no Brasil

Eleições 2020

Candidatos recebem R$ 4,1 milhões para o 2º turno; veja quem mais recebeu

País

PF faz 219 buscas em quatro estados atrás de arquivos de pedofilia na Deepweb

Dinheiro

Black Friday: veja as dicas para não ser enganado