OMS lança base de dados mundial para acesso a inovações contra covid-19 - ES360

OMS lança base de dados mundial para acesso a inovações contra covid-19

A iniciativa partiu de uma sugestão do presidente da Costa Rica, Carlos Alvarado, e conta com o apoio de outros 36 países, incluindo o Brasil, e de instituições internacionais

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou nesta sexta-feira (29), o Grupo de Acesso à Tecnologia da covid-19 (C-TAP, na sigla em inglês), uma base de dados global e voluntária para reunir informações que ajudem no desenvolvimento de vacinas, testes, medicamentos e outras inovações no combate ao novo coronavírus. A nova plataforma surge como irmã do Acelerador de Acesso às Ferramentas da covid-19 (ACT), que também visa à cooperação internacional contra a disseminação do vírus.

A iniciativa partiu de uma sugestão do presidente da Costa Rica, Carlos Alvarado, e conta com o apoio de outros 36 países, incluindo o Brasil, e de instituições internacionais. Em crise com a entidade, os Estados Unidos não fazem parte do grupo de nações que endossou o acordo.

“O Grupo de Acesso à Tecnologia da covid-19 vai garantir que as melhores e mais recentes descobertas científicas beneficiem toda a humanidade. Vacinas, testes, diagnósticos, tratamentos e outras peças-chave na resposta ao coronavírus devem ter disponibilidade universal como bens públicos globais”, disse Alvarado.

Tedros Adhanom Ghebreyesus Foto: OMS

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus destacou o caráter igualitário da iniciativa. “A colaboração e a solidariedade global são essenciais para superar a covid-19. Baseado em ciência de ponta e na colaboração aberta, essa plataforma de troca de informações vai ajudar a promover um acesso igualitário a tecnologias que salvam vidas ao redor do mundo”, afirmou.

A plataforma se baseia em cinco elementos essenciais:

– Divulgação de sequências genéticas e de dados;

– Transparência na publicação de todos os resultados de ensaios clínicos;

– Inclusão de cláusulas, em acordos de financiamentos com companhias farmacêuticas, sobre distribuição igualitária, acessibilidade e publicação de dados de ensaios clínicos;

– Licenciamento de qualquer potencial tratamento, teste diagnóstico, vacina ou outras tecnologias para saúde no Grupo de Patentes de Medicamentos – um órgão de saúde pública apoiado pela ONU que funciona para melhorar o acesso e facilitar o desenvolvimento de medicamentos que salvam vidas para países de baixa e média renda;

– Promoção de modelos de inovação aberta e de transferência de tecnologia que aumentam a capacidade local de fabricação e fornecimento.

Estadão Conteúdo

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Cult

Teatro Carlos Gomes tem visita técnica para elaborar projeto de restauro

Dia a dia

Só 12% dos cursos superiores do ES recebem nota máxima no Enade

País

Governo federal vai comprar 46 milhões de doses da vacina chinesa

Dia a dia

Instituto emite alerta de chuva intensa para o Espírito Santo