O fundo do poço (?) - ES360

O fundo do poço (?)

  • Marco Antonio Tavares Loureiro

O ano de 2020 tem sido especialmente triste. O planeta vem enfrentando a maior crise de saúde pública do último século, decorrente da pandemia do novo coronavírus. No Brasil, o vírus já infectou quase 4 milhões de pessoas e interrompeu mais de 120 mil vidas. Além disso, as medidas restritivas utilizadas para combater a doença tornaram mais difíceis as perspectivas de recuperação econômica para o país, que não tem um crescimento anual do Produto Interno Bruto (PIB) acima de 1,5% desde 2012.

Somado ao grave quadro nacional, no final de agosto, o Brasil foi surpreendido com a notícia de que a Prefeitura do Rio de Janeiro contratou funcionários para fazerem plantões em frente a hospitais. O objetivo era impedir, por meio de intimidação, que cidadãos denunciassem as condições do atendimento nessas unidades de saúde para a mídia.

Cabe ressaltar que, para além do adverso cenário nacional, o município do Rio de Janeiro vive uma situação ainda mais severa, em virtude da grave crise de suas contas públicas. Foi em meio a esse contexto dramático para a população fluminense que o prefeito Marcelo Crivella resolveu dar contornos “orwellianos” à crise, contratando funcionários para coibir a manifestação do cidadão sobre a qualidade do serviço municipal de saúde.

Os chamados “guardiões do Crivella” recebiam salários entre R$ 2,7 mil a R$ 10 mil, enquanto técnicos de enfermagem e enfermeiros da Prefeitura arriscam suas vidas em plena pandemia por salários de R$ 2,1 mil e R$ 4 mil, respectivamente. Trata-se de episódio tão absurdo que conseguiu se destacar mesmo em um período tão conturbado.

O ano de 2020 trouxe lições e reflexões profundas sobre responsabilidade individual, liderança e a importância de valorizar o uso responsável do dinheiro do pagador de impostos. Se, por um lado, esse episódio da Prefeitura do Rio causa indignação e espanto, por outro, guardamos esperança de que o ocorrido tenha representado o ponto mais baixo de um ano tão difícil para todos. Torço para que estejamos na subida.

Sobre o autor:

Marco Antonio Tavares Loureiro. Foto: Divulgação
Marco Antonio Tavares Loureiro. Foto: Divulgação

Marco Antonio Tavares Loureiro é economista formado na UFES e pós graduado em Liderança e Desenvolvimento Humano pela FUCAPE. Atualmente é Gerente Geral de Consignação do Banestes, Associado I no Líderes do Amanhã e Vice Presidente do Ibef Jovem.

Ibef Academy é o ciclo de formação do IBEF Jovem ES, focado em conteúdo das áreas de finanças e economia. Seu objetivo é melhorar o ambiente de negócios e financeiro do Espírito Santo, através da auto capacitação de seus membros nas referidas áreas. O IBEF Jovem ES, por sua vez, é o braço do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do Espírito Santo (IBEFES) que reúne profissionais com até 35 anos.

Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do ES360.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais Colunas