O "fan service" está destruindo as boas histórias? - ES360

O “fan service” está destruindo as boas histórias?

A expressão “fan service” tem origem no universo dos animes e dos mangás e consiste na introdução de elementos supérfluos com o simples objetivo de entreter o público.

Existe, inclusive, uma categoria inteira de animes de fan service. No entanto, o termo foi sendo gradativamente incorporado por outros domínios fictícios, agregando mais e mais amplitude ao seu significado.

Diálogos, casais extremamente forçados, personagens que mudam drasticamente de personalidade, enfim. Esses são alguns exemplos de fan services mais recorrentes no microcosmo das séries. A intenção de quem os coloca no meio da história é manter o público fiel e extrair dele reações positivas para conservar e até elevar o hype do programa. Entretanto, até que ponto essas escolhas são inteligentes?

É um ciclo: a audiência cria um vínculo afetivo com a obra e passa a promovê-la exigindo, em troca, que suas demandas sejam atendidas. Ao serem atendidas as vontades, quando novas pessoas levantadas pelos fãs se rendem e tentam assistir ao programa, encontram algo desinteressante a qualquer um que se encontre fora da bolha da adoração. Em um piscar de olhos, a autonomia e o controle criativo saem de cena, a essência se perde e a arte original se transforma em uma fanfic de si mesma.

A ficção é sim feita para os fãs. Isso é fato. É necessário, porém, saber separar o que é um objeto de contemplação e o que as minhas mãos podem de fato moldar. Quando nós nos submetemos a ser fãs de alguma coisa, estamos assinando um pacto de confiança com o autor, já que foi ele quem nos apresentou a essa obra. E se é essa a obra que queremos, é esse o autor a quem ela pertence.

No Dudecast da semana, discutimos como o fan service pode ajudar, ressuscitar ou destruir de vez seu entretenimento favorito.

Quer dar sua opinião? Entre em contato conosco pelo email [email protected]

O Dudecast é o podcast principal do The Dudes, que conta com mais quatro programas ao todo. A proposta do Dudecast é trazer para o público assuntos da cultura pop e de assuntos do dia a dia com bom humor. Histórias de família, casos cotidianos e situações inusitadas que fazem o público se identificar envolvem grande parte das pautas. Além disso, discutimos sobre séries, filmes, música e cultura pop em geral, também de forma bem humorada. Fazem parte da bancada fixa do programa Raphael Marques, Andrey Mattos, Diego Birth e Henrique Henning.

Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do ES360.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais Colunas