O desenvolvimento de produtos com origem renovável - ES360

O desenvolvimento de produtos com origem renovável

A sociedade já sinalizava mudança de comportamento no consumo de produtos agrícolas (alimentos, fibras e energia) antes da pandemia. Agora, haverá uma aceleração desta mudança. Questões como a origem do produto, práticas ambientais adequadas, a relação da empresa produtora com os seus próprios trabalhadores e até mesmo o posicionamento da empresa em questões sociais importantes farão parte da decisão de compra de cada um de nós.

Em geral, vejo pequenas empresas trabalhando em nichos específicos. Não é fácil ver uma gigante praticando valores sustentáveis e olhando para o futuro. E isso a Suzano faz muito bem. E se tornou protagonista neste novo mundo representado pela bioeconomia.

Neste episódio, Octaciano Neto conversa com Fernando Bertolucci, diretor de pesquisa e desenvolvimento da Suzano. O Fernando é referência mundial em inovação e sustentabilidade. Ele crava um termo que todos deveriam refletir: ambidestria organizacional. A Suzano faz isso: produz hoje e pensa no futuro que existe pela frente. A bioestratégia da Suzano desenvolve pesquisas em 5 grandes áreas: bio-óleo, celulose solúvel, nanocelulose, lignina e biocompósitos (substitutos para os plásticos atuais).

Em 2023, segundo a United Nations Alliance for Sustainable Fashion, 7,5% da produção de têxteis virão de fibras de madeira. É um novo mundo.

Octaciano Neto foi secretário de Agricultura do Espírito Santo e presidente do Conselho dos Secretários de Agricultura do Brasil. É um dos líderes do RenovaBr, produtor rural e apresentador do podcast 4.0 no Campo.

Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do ES360.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais Colunas