Nova companhia de gás do ES vai investir R$ 40 milhões em gasoduto em Linhares - ES360

Nova companhia de gás do ES vai investir R$ 40 milhões em gasoduto em Linhares

Esse é o primeiro investimento da ES Gás, que teve contrato com o governo do estado assinado nesta quarta-feira (22). Intuito é substituir o transporte de gás, hoje feito via carretas, por 28km de dutos

Obra de gasoduto. Foto: Divulgação/ES Gás

A ES GÁS, nova concessionária de distribuição de gás natural no Espírito Santo, vai construir um gasoduto ligando a região litorânea à área industrial de Linhares. O investimento será de R$ 40 milhões e possibilitará aumentar a malha de distribuição por meio da construção de 28km de rede de distribuição de aço carbono, substituindo o transporte de gás que é hoje é feito por quatro carretas, totalizando 140 viagens ao mês.

A construção do gasoduto é o primeiro investimento da concessionária, que teve contrato entre o governo do estado assinado nesta quarta-feira (22) em solenidade virtual. A empresa foi criada em dezembro de 2018 e vai assumir os serviços que até então eram prestados pela BR distribuidora desde o ano de 1995.

As obras do novo gasoduto vão começar no último trimestre de 2020 e vão levar 13 meses para serem concluídas. A interligação da rede de distribuição de Linhares ao gasoduto de transporte “Cacimbas-Catu” vai ampliar a capacidade de fornecimento ao município de Linhares, atualmente limitada a 30.000 m³/dia, e que é abastecida através de caminhões de gás natural comprimido (GNC) que acarreta custos operacionais adicionais relativos à compressão, ao transporte e à descompressão do gás natural. A capacidade nominal passará a ser de 200.000 m³/dia.

“Com as perspectivas de aumento de consumo, decorrente de novas plantas em fase de implantação no município, a companhia entende que chegou a hora de dotar a rede de Linhares de um sistema de abastecimento por gasoduto, o que suscitará a redução dos custos operacionais atuais”, explica o diretor presidente da ES Gás, Heber Resende.

Entre as vantagens do novo sistema está a diminuição das possibilidades de desabastecimentos em decorrência intempéries ou acidentes rodoviários. “Com este investimento, a ES GÁS estima um ganho de eficiência operacional, considerando a eliminação das etapas de compressão, transporte rodoviário e descompressão para a rede de distribuição de Linhares; a eliminação de todos os custos incidentes sobre a prestação do serviço de operação e transporte de GNC para Linhares e a eliminação do risco de compensações financeiras devido ao desabastecimento em função de fortes chuvas na região”, relata o diretor de Operações da ES Gás, Frederico Bichara.

Futuro e novo mercado do gás

Além disso, a ES Gás planeja, para os próximos 10 anos, investimentos da ordem de R$ 300 milhões, com o objetivo de ampliar a rede de distribuição em mais de 292 mil metros e ligar mais de 96 mil novos consumidores, além de manter uma operação de excelência, sempre na busca por maior competitividade.

O governador Renato Casagrande destacou que assinatura do contrato, feita após as regras do novo mercado do gás, foi considerada histórica não apenas para o Estado, mas para todo o País. “Esse contrato coloca o Espírito Santo como o primeiro a assinar no Novo Mercado de Gás. Buscamos que o gás natural seja um instrumento do nosso desenvolvimento e que possamos atrair novos investimentos. As regras estabelecidas são modernas e já no mês que vem iremos lançar a chamada pública para a aquisição de gás, que antes só poderia ser realizada pela Petrobras.

O diretor-presidente da ES Gás, Heber Resende, também celebrou a assinatura do contrato. “Trabalhamos com afinco na elaboração deste documento para garantir que o Espírito Santo tenha um contrato que compreenda as melhores práticas internacionais. Que também observe os princípios do programa federal do ‘Novo Mercado de Gás’, possibilitando que este insumo seja um indutor do desenvolvimento capixaba. Este contrato tem todo o potencial de colocar o Espírito Santo na liderança de uma concessão moderna, voltada para a competitividade da indústria e o bem-estar da população”, afirmou.

A Agência de Regulação de Serviços Públicos do Espírito Santo (Arsp), responsável por regular, controlar e fiscalizar serviços públicos no Estado, dentre os quais o de gás natural, também comemorou a assinatura do contrato. “Estamos assinando um contrato moderno com duração de 25 anos, encerrando um contrato com uma metodologia obsoleta. Seremos o primeiro Estado brasileiro nessa situação, com relações transparentes para o público em geral e 100% alinhado com o desejado ‘Novo Mercado de Gás’”, explicou o diretor-geral da Agência, Munir Abud de Oliveira.

De acordo com Munir Abud, o Espírito Santo é, atualmente, o estado com a menor margem de distribuição do país para as grandes indústrias, o que proporciona um momento ímpar para a retomada dos investimentos e a criação de novos empregos. Ele informou que as resoluções da Arsp serão atualizadas, conforme o ‘Novo Mercado do Gás, com enfoque ao consumidor livre. Ele destacou ainda que o novo contrato prevê que a Companhia deverá sempre buscar os menores custos e as melhores condições de mercado, podendo realizar chamadas públicas para aquisição de gás, tornando essa variável totalmente transparente.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Unipró lança curso de preparação para o Ifes 100% online

Bem-estar

A Escola Bíblica Dominical sob a perspectiva da Igreja Cristã Maranata

Dia a dia

Espírito Santo tem 22 mortes pela covid e 91 mil casos

País

Ministério da Saúde confirma mais de 100 mil mortos por covid-19 no Brasil