Universidade afasta estudante suspeito de assédio - ES360

Universidade afasta estudante suspeito de assédio

Homem foi denunciado por três universitárias em Vila Velha. Sindicância para apurar o caso deve durar 30 dias, podendo ser prorrogada


O suspeito de assediar três jovens no banheiro feminino da UVV (Universidade Vila Velha) foi temporariamente afastado da instituição, nesta segunda-feira (23). As supostas abordagens aconteceram na manhã da última quinta-feira (19), no prédio onde o homem e as vítimas cursam Direito. Uma das estudantes registrou um boletim de ocorrência na Polícia Militar denunciando o universitário.

Após grande repercussão nas redes sociais e um protesto dos alunos pedindo a punição do suspeito, na manhã de ontem, a instituição emitiu uma nota de afastamento. A universidade reforçou que fez uma avaliação inicial dos fatos e encaminhou à Reitoria, que abriu imediatamente um processo de sindicância para apurar o caso e adotar medidas cabíveis ao ocorrido.

> VÍDEO: Jornal Capixaba de segunda-feira, 23 de setembro

A universidade explica que o processo de sindicância deve durar até 30 dias, podendo ser prorrogado pelo mesmo período. “Nesse prazo, todas as partes envolvidas têm o direito à ampla defesa e serão ouvidas pela comissão instaurada pela instituição, composta pelo corpo jurídico da universidade”, diz a nota.

A UVV afirma ainda que “repudia qualquer atitude que atente contra o bem-estar físico e psicológico de seus alunos e colaboradores, e está aplicando todos os esforços para elucidar os fatos”.

Vítimas foram abordadas quando estavam sozinhas

Três jovens afirmam à TV Capixaba terem sido assediadas dentro do banheiro feminino da universidade na última quinta-feira. Ainda abaladas, as vítimas contam como foram abordadas pelo suspeito no prédio em que estudam.

“Ele me seguiu até o banheiro e se escondeu na cabine ao lado, que é para deficientes”, desabafa uma estudante, de 20 anos.

Outra universitária, 24 anos, lembra que foi a primeira vítima do suspeito. Ela relata que chegou mais cedo na faculdade e entrou no banheiro feminino. O homem teria entrado no banheiro ao lado, de deficientes, e esperou. A jovem afirma que quando ficou sozinha, ele a abordou, a segurou pelo braço, e falou “coisas indecentes” no ouvido dela. Com medo, ela relata que conseguiu se soltar e correr.

A terceira vítima foi abordada no mesmo dia e local. Ela disse que também estava sozinha. “Ele fazia sinais com as mãos. Fiquei com medo. Me tranquei na cabine e mandei mensagem para um amigo. Meu colega foi até lá e eu consegui correr”.

A polícia orienta que as vítimas desse tipo de caso registrem a ocorrência em qualquer delegacia, para que os suspeitos sejam identificados e punidos.

Mais notícias
Dia a dia

Casagrande pede recursos ao governo federal para recuperar a BR-262

Dia a dia

Santa Leopoldina decreta estado de calamidade pública

Dia a dia

Moradores são retirados de edifício em Marechal Floriano

Dia a dia

Mais de 700 pessoas ainda estão fora de casa no ES