Escola em Vitória funciona sem alvará e com rachaduras - ES360

Escola em Vitória funciona sem alvará e com rachaduras

Unidade não tem documento de funcionamento do Corpo de Bombeiros, além de ter biblioteca e laboratório escorados por madeira

A chuva dos últimos dias tornou mais difícil a rotina dos alunos e funcionários da Escola Municipal de Ensino Fundamental Otto Ewald Junior, em Itararé, Vitória. Mesmo sem alvará de funcionamento do Corpo de Bombeiros, e com rachaduras e infiltrações em parte da estrutura, a escola continua funcionando.

Salas foram interditadas por apresentar trincas na estrutura. Foto: Divulgação
Salas foram interditadas por apresentar trincas na estrutura. Foto: Divulgação

Há mais de quatro meses, a área onde funcionavam a biblioteca e o laboratório foi isolada e o teto escorado com vigas de madeira.

A interdição parcial da escola foi recomendada pela Defesa Civil do município, que vistoriou o local assim que surgiram as primeiras trincas na estrutura.

A situação da escola foi denunciada pelo vereador Mazinho dos Anjos (PSD), da Comissão Permanente de Obras e Serviços, na Câmara de Vitória.

O vereador também apontou a falta de portas nos banheiros e de vasos sanitários desativados, além de vários pontos de infiltração e goteiras no prédio.

“Vamos acionar o Ministério Público, a Defensoria Pública e o Corpo de Bombeiros, para que verifiquem se a escola pode continuar funcionando nessas condições”, afirmou o vereador.

A secretária de Educação de Vitória, Adriana Sperandio, explicou que o escoramento do teto foi realizado de forma preventiva e garantiu que não há risco para funcionários e alunos da escola.

Contudo, a comunidade escolar continua aflita. “Minha filha está em casa, sem frequentar as aulas, pois tenho medo que o pior aconteça. Essa escola precisa ser interditada e os alunos e funcionários precisam de segurança”, afirmou Patrícia Garcia, mãe de uma aluna da EMEF Otto Ewald Junior.

Monitoramento

A secretária de Educação disse ainda que a obra de reforço da estrutura da escola começa no início do mês de dezembro. “Assim que o problema foi identificado, a Defesa Civil (de Vitória) recomendou o escoramento da estrutura e a realização de obras de reparo”.

A expectativa é de que a intervenção seja concluída em 150 dias. “A empresa que vai realizar a obra já foi contratada, de forma emergencial, e atuará no período das férias para não atrapalhar o funcionamento da unidade de ensino”, completou a secretária.

Atualmente, a rede municipal de ensino de Vitória conta com 102 unidades, sendo 53 de educação fundamental e 49 de educação infantil. Desse total, três escolas não estão funcionando por conta da chuva.

A Secretaria de Educação de Vitória não comentou a confirmação do Corpo de Bombeiros, que informou que a escola não possui Alvará de Funcionamento.

Mais notícias
Bem-estar

Nove em 10 pacientes curados da covid-19 apresentam efeitos colaterais

Dia a dia

SindEducação aciona Justiça contra volta às aulas

País

PF faz buscas no gabinete de Hélder Barbalho em operação sobre desvios na Saúde

País

PF aponta ‘indícios de corrupção sistêmica’ no governo do Pará