MPF investiga duas pessoas por fraude no Auxílio Emergencial em Vila Velha - ES360

MPF investiga duas pessoas por fraude no Auxílio Emergencial em Vila Velha

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos pela Polícia Federal na casa dos investigados. Suspeitos desviaram mais de R$ 40 mil

Dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (10), em Vila Velha, na casa de dois suspeitos de fraudarem 75 contas do Auxílio Emergencial. De acordo com as investigações, eles desviaram cerca de R$ 44 mil das vítimas.

A ação, realizada a pedido do MPF (Ministério Público Federal), resultou na apreensão de documentos, equipamentos eletrônicos e mídias que podem conter informações relacionadas às fraudes, além de dinheiro e bens com potencial de serem produto dos crimes.

De acordo com o órgão, um dos investigados teria fraudado ao menos 44 contas do auxílio emergencial, desviando, por meio de pagamento de boletos e transações eletrônicas via aplicativo Caixa Tem, R$ 31.310 das vítimas entre 1º de maio e 30 de junho de 2020.

O segundo suspeito é acusado de fraudar pelo menos 31 contas, desviando R$ 12.912,04 entre 1º de maio de 2020 e 18 de junho de 2020.

Em nota, o MPF diz ter solicitado o sequestro de bens dos investigados, no valor mínimo das fraudes, “com a finalidade de impedir o proveito de valores oriundos da prática de dezenas de furtos mediante fraude. A medida visa ainda, resguardar bens e valores suficientes para suportar eventual condenação relativa à reparação dos prejuízos causados”.

O golpe

Em regra, as fraudes ocorrem em dois momentos: na inscrição e/ou no pagamento do benefício. A primeira forma de fraude ocorre quando o requerente, que não faz jus ao benefício, declara falsamente cumprir todos os requisitos da lei e acaba por obter o auxílio emergencial por ausência de filtros eficazes das bases de dados do Governo Federal.

Ocorre também, quando o fraudador, de posse indevida de dados cadastrais de terceiros, inscreve-os no programa assistencial, para posterior saque indevido dos valores. Quanto à fraude que ocorre na fase do pagamento do auxílio emergencial, na maioria das vezes, os fraudadores cadastram no aplicativo Caixa Tem indivíduos que já estavam recebendo o benefício, mas que ainda não estavam cadastrados neste aplicativo. Após o cadastro no aplicativo, os fraudadores desviam todo o saldo em benefício próprio, seja através de saques, pagamentos, transferências ou compras.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Espírito Santo registra 13 mortes e 995 casos de covid-19 neste domingo

Dia a dia

Espírito Santo vai receber 100 mil doses das vacinas aprovadas pela Anvisa

Dia a dia

Em recado a Doria, Pazuello diz que não começa a vacinar com ‘jogada de marketing’

Dia a dia

Enfermeira Mônica Calazans de São Paulo é a 1ª vacinada contra covid-19 no Brasil