Motoristas e cobradores prometem novo protesto nesta quarta, às 14h na Ufes - ES360

Motoristas e cobradores prometem novo protesto nesta quarta, às 14h na Ufes

A categoria vai protestar pelas avenidas Fernando Ferrari e Nossa Senhora da Penha em direção à Secretaria de Transportes, na Praia do Canto

Um novo protesto do Sindirodoviários-ES (Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado) está marcado para esta quarta-feira (6), a partir das 14h, na Ufes (Universidade Federal do Espírito Santo), em Vitória. Os manifestantes seguirão pelas avenidas Fernando Ferrari e Nossa Senhora da Penha até a Setop (Secretaria de Estado dos Transportes), na Praia do Canto.

Na última terça-feira (5), a categoria caminhou da praça de Jucutuquara, passando pela avenida Vitória e Curva do Saldanha e se concentrou nas avenidas Jerônimo Monteiro e Getúlio Vargas, no Centro de Vitória, causando grande retenção de veículos em ambos os sentidos das vias. Ônibus foram estacionados em fila dupla e carros de som deu voz às reivindicações.

Nesta quarta, em entrevista à rádio BandNews FM, Valdecir Laurindo, diretor do Sindirodoviários, pediu o apoio da população e disse que manterá o diálogo com as comunidades, para informar as datas e locais de protesto.

“Estamos avisando desde a madrugada nos terminais, estamos conversando com a população e vamos panfletar dentro das comunicdades. Hoje nosso protesto vai acontecer das 14h até 17h para não prejudicar a população. Nao vamos deixar as pessoas na mão”, afirmou Valdecir.

Entenda

Este é o terceiro dia consecutivo de manifestações dos rodoviários. A categoria pede o retorno dos cobradores aos seus postos de trabalho. Eles estão afastados de suas funções desde maio, quando o governo do Estado passou a aceitar apenas o cartão de passagem como forma de pagamento, contra a disseminação do novo coronavírus.

Segundo Valdecir Laurindo, diretor do Sindirodoviários, o cenário está alinhado também à suspensão da Medida Provisória do governo Federal que autoriza os empregadores, temporariamente, a reduzir salários e jornadas de contratos de trabalho.

De acordo com ele, os cobradores hoje não podem ser demitidos pois é garantido a eles estabilidade. Porém, se mudarem de função, poderão ser demitidos. “Os cobradores deveriam ter voltado aos seus cargos no último dia 4, mas não puderam entrar nem nos pátios das empresas. São mais de 4 mil pais de famílias”.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Novo lote com 35,5 mil vacinas chega ao Espírito Santo

País

Dezenas de cidades têm carreatas pró-impeachment

Dia a dia

Fiocruz prevê ter insumos da vacina de Oxford só no dia 8

Dia a dia

Margareth Dalcomo recebe a vacina de Oxford