Médico diz que Trump "está muito bem", mas chefe de gabinete fala que "quadro é preocupante" - ES360

Médico diz que Trump “está muito bem”, mas chefe de gabinete fala que “quadro é preocupante”

Segundo Sean Conley, a febre diminuiu e o republicano está respirando sem auxílio, mas Mark Meadows disse que os próximos dois dias serão determinantes para o tratamento; fontes falam que o presidente recebeu oxigênio na Casa Branca

Trump sugere adiar eleições dos EUA para evitar fraudes. Foto: Isac Nóbrega/PR
Donald Trump. Foto: Isac Nóbrega/PR

 

“Essa manhã o presidente está se sentindo muito bem”, afirmou o médico da Casa Branca Sean Conley neste sábado (3), ao divulgar o estado de saúde de Donald Trump, internado desde a noite de sexta-feira no hospital militar Walter Reed após testar positivo para a covid-19.

Contrariando a calma da equipe médica na coletiva deste sábado, o chefe de gabinete de Trump, Mark Meadows, afirmou que “os sinais vitais de Trump nas últimas 24 horas foram preocupantes e as próximas 48 horas serão determinantes para o tratamento”. “Nós ainda não estamos em um caminho claro para uma recuperação completa”, completou Meadows, segundo a imprensa americana.

A informação dada pelo chefe de gabinete já havia surgido logo após a coletiva médica, mas foi atribuída a uma fonte próxima ao presidente ao ser enviada a jornalistas que cobrem o dia a dia da Casa Branca.

As declarações contraditórias aumentam as especulações sobre o real estado de saúde de Trump.

A pergunta que ficou no ar neste sábado durante a coletiva foi se o presidente recebeu oxigênio em algum momento desde que começou a se sentir mal. “Ele não teve dificuldade de respirar, não está recebendo oxigênio nesse momento”, afirmou Conley. Questionado por jornalistas sobre se Trump precisou de auxílio para respirar em algum momento, o médico apenas disse que desde a noite de sexta não e se negou a dar mais detalhes.

A pergunta foi feita diversas vezes para a equipe médica porque fontes próximas a Trump afirmaram ao The New York Times a à rede ABC News que o presidente estava com dificuldade de respirar quando ainda estava na Casa Branca, na sexta-feira, e recebeu oxigênio suplementar. Foi justamente esse episõdio que levou à necessidade de internação de Trump. Segundo as fontes, o oxigênio foi essencial para que o presidente conseguisse sair andando em direção ao helicóptero antes de ser levado ao hospital na noite de sexta.

Antes de ser levado, em helicóptero, para o hospital, Trump postou um vídeo no Twitter dizendo que se sentia “muito bem”. “Quero agradecer a todos pelo tremendo apoio”, disse. “Vou ao hospital Walter Reed. Acho que estou muito bem. Mas vamos nos assegurar de que tudo correrá bem”.

Conley se recusou a determinar uma data para a alta de Trump e disse que a internação “foi uma precaução”. “Ainda não queremos falar em dia da alta porque a fase dois dessa doença (covid) pode vir acompanhada de um quadro inflamatório, então temos que ter cuidado”, afirmou o médico, na frente do Centro Médico e acompanhado pelo resto da equipe que cuida de Trump.

Estadão Conteúdo


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

De cada seis notificações, um resultado é positivo para covid-19 no ES

Dia a dia

Espírito Santo terá muita chuva nos próximos dias; veja a previsão

Dia a dia

Espírito Santo tem 15 mortes pelo coronavírus em 24 horas

Dia a dia

Rio Doce: em cinco anos, apenas 34% das famílias cadastradas receberam indenização