Mazinho dos Anjos anuncia apoio a Pazolini no 2º turno em Vitória - ES360

Mazinho dos Anjos anuncia apoio a Pazolini no 2º turno em Vitória

Candidato do PSD disse que, apesar de ter declarado neutralidade no segundo turno, teve que reavaliar essa decisão diante dos últimos acontecimentos

Depois de ficar em 5º lugar, com 6,65% dos votos, no primeiro turno da disputa pela prefeitura de Vitória, o candidato Mazinho dos Anjos (PSD) declarou apoio ao delegado Lorenzo Pazolini (Republicanos) no segundo turno das eleições na capital. Até o momento, Fabrício Gandini (Cidadania), Sérgio Sá (PDB) e o coronel Nylton Rodrigues (Novo), ainda não manifestaram apoio a nenhum dos dois concorrentes. Lorenzo Pazolini, que ficou em primeiro lugar com 30,95% dos votos, vai disputar o segundo turno com João Coser (PT), que teve 21,82%.

> Secretários de Casagrande declaram apoio a Coser em Vitória

Mazinho disse que apesar de ter declarado neutralidade no segundo turno, diante dos últimos acontecimentos, teve que reavaliar essa decisão. “Ver o PT injetar R$ 4,5 milhões na campanha de Coser nos últimos 4 dias de eleições e usando tudo que pode para ganhar essa eleição a qualquer custo, me fez vir até aqui trazer uma nova mensagem para vocês: não podemos deixar que o maior modelo de corrupção da história de nosso país tome posse de nossa capital”, disse o vereador.

Segundo Mazinho, o PT quer ressuscitar em Vitória e se organizar novamente, ganhando força para 2022. Ele ressaltou que não quer isso para a capital e nem para o país. Por isso, declarou o apoio a Pazolini e ainda pediu que seus eleitores fizessem o mesmo.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Enfermeira que debochou de vacina é demitida da Santa Casa

País

Lewandowski abre inquérito para apurar atuação de Pazuello em Manaus

Dia a dia

Covid-19: Espírito Santo registra 48 óbitos em 24 horas; total chega a 5.716

Dinheiro

Se endividamento for menor, pode debater auxílio de até 6 meses, afirma Maia