Mais de 40 países já iniciaram vacinação contra covid-19 - ES360

Mais de 40 países já iniciaram vacinação contra covid-19

Mais de 4,8 milhões de pessoas de 43 países foram vacinadas com doses de imunizantes aprovados para uso emergencial ou definitivo

44 países já começaram a administrar as diversas variantes de vacinas contra a covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus que assola o mundo com mais de 80 milhões de pessoas infectadas deixando 1,7 milhão de óbitos.

O monitoramento é feito pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, e pode ser acompanhado no site Our World in Data

O primeiro país ocidental a iniciar a imunização foi o Reino Unido, que começou a aplicar no dia 8 de dezembro a vacina produzida pela americana Pfizer em parceria com a alemã BioNTech. Logo em seguida foi a vez dos Emirados Árabes, EUA, Canadá, Arábia Saudita e Israel. Outros 27 países da União Européia receberam as primeiras doses no último fim de semana, apenas Irlanda e Holanda seguem aguardando o cronograma. Na Irlanda, o início de aplicação das primeiras doses está marcado para amanhã (30).

Na última quinta-feira, véspera de Natal, o México, Costa Rica e Chile foram os primeiros países da América Latina a iniciar o processo de imunização utilizando a vacina da Pfizer, a ampla maioria dos países distribuem o imunizante, somente os EUA optaram por aprovar e utilizar a vacina exclusivamente americana Moderna.

A Argentina, começou nesta terça-feira (29) a vacinação de profissionais de saúde e foi um dos primeiros países do mundo a usar vacina russa, Sputnik V. A primeira dose foi dada no Hospital San Martín, na cidade de La Plata. Em seguida, foram imunizadas uma funcionária da equipe de limpeza da unidade e um médico. O governador de Buenos Aires, Axel Kicillof, também recebeu a primeira dose da vacina como forma de assegurar a população.

No Bahrein e Emirados Árabes, a imunização é feita com a vacina da Sinopharm, desenvolvida na China. A Rússia, assim como os EUA, optou por localidade, a Sputnik V, desenvolvida no próprio país. A China usa a Coronavac e a Sinopharm, também desenvolvidas localmente. A Rússia e a China seguem usando vacinas autorizadas apenas por seus próprios governos.

Nos EUA, Sérvia, Israel, Arábia Saudita, e Argentina autoridades estiveram entre as primeiras pessoas a receber a vacina, como forma de dar o exemplo para a população. O vice-presidente americano, Mike Pence, foi imunizado em frente às câmeras. O mesmo ocorreu com o primeiro ministro israelense Benjamin Netanyahu.

Os americanos já imunizaram mais de 2 milhões de pessoas nas últimas duas semanas. A China afirmou que aplicou cerca de 1 milhão de doses. O Reino Unido, 800 mil.

O Brasil, por enquanto, segue uma data para o início da imunização em massa. O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, já anunciou várias previsões como dezembro, janeiro, fevereiro e março e deu declarações conflitantes sobre as doses que vão estar disponíveis no primeiro bimestre de 2021.

Em contraste com outros líderes mundiais, o presidente Jair Bolsonaro disse que não pretende tomar a vacina. Só o estado de São Paulo, que negociou por conta própria um acordo de fornecimento de doses com o laboratório chinês Sinovac anunciou uma data para o início da vacinação: 25 de janeiro. No entanto, ao contrário de outras dezenas de países pelo mundo, o Brasil ainda não aprovou o registro de nenhuma vacina.

Confira a lista de países que já começaram a aplicar a vacina:

América do Norte:

Estados Unidos

Canadá

México

América Central:

Costa Rica

América do Sul:

Argentina

Chile

Oriente Médio:

Emirados Árabes Unidos

Arábia Saudita

Israel

Qatar

Kuwait

Omã

Bahrein

Ásia:

China

Europa:

Reino Unido

Rússia

Sérvia

Suíça

Noruega

União Europeia:

Alemanha

Grécia

Áustria

Hungria

Bélgica

Bulgária

Itália

República Tcheca

Letônia

Chipre

Lituânia

Croácia

Luxemburgo

Dinamarca

Malta

Eslováquia

Eslovênia

Polônia

Espanha

Portugal

Estônia

Romênia

Finlândia

Suécia

França

Fonte: Our World in Data, Deutsche Welle


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Bem-estar

Itamaraty: Índia tem ‘boa vontade’ para liberar vacina, mas há problema logístico

Mundo

Tour no Capitólio na véspera da invasão levanta suspeita de cumplicidade interna

País

Explicação mais plausível para explosão da covid em Manaus é nova variante do vírus

Dia a dia

ES aguarda definição sobre quantidade de vacinas contra a covid-19