Maconha medicinal: empresa capixaba já ajuda 300 famílias em todo o país - ES360

Maconha medicinal: empresa capixaba já ajuda 300 famílias em todo o país

A CBD Express conecta famílias a médicos especialistas e ainda auxilia junto à Anvisa a regularização para uso e importação dos remédios

O uso medicinal de derivados da maconha no Brasil ainda esbarra em grandes obstáculos. O preconceito em torno da planta e a grande burocracia para a compra e a importação dos medicamentos são alguns desses entraves. Mas o cenário está mudando. E a luta pela causa conta com o empenho de um capixaba que já faz a diferença na vida de 300 famílias brasileiras.

Rômulo Corrêa Alves, 24, é o fundador e CEO da CBD Express, empresa de importação de medicamentos à base de Cannabis sativa, a maconha. Dela são extraídas substâncias como o CBD (canabidioal) e o THC (tetrahidrocanabidiol), utilizadas no tratamento contra depressão, epilepsia, esclerose múltipla, esquizofrenia, mal de Parkison e dores crônicas, entre outras.

Da maconha são extraídos o CBD e o THC, substâncias utilizadas no tratamento contra depressão, epilepsia, esclerose múltipla, esquizofrenia, mal de Parkison e dores crônicas, entre outras. Foto: Julia Teichmann/Pixabay
Da maconha são extraídos o CBD e o THC, substâncias utilizadas no tratamento contra depressão, epilepsia, esclerose múltipla, esquizofrenia, mal de Parkison e dores crônicas, entre outras. Foto: Julia Teichmann/Pixabay

A regulamentação para a aquisição dessas substâncias, no entanto, é recente. Em 2014, a Justiça autorizou pela primeira vez a importação de um óleo rico em CBD para o tratamento médico. Mas apenas em 2015 a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) retirou o canabidiol da lista de substâncias proibidas. Ainda assim, a burocracia impedia o acesso aos remédios.

“Em 2018 notei que, além dessa dificuldade, poucos profissionais da saúde prescreviam as substâncias. Como aluno de Direito, pensei em ajudar e criei a CBD Express. Além de conectar as famílias que buscavam o tratamento aos médicos que prescreviam esses medicamentos, passamos também a resolver todos os trâmites legais junto à Anvisa para o uso e a importação”, explicou Rômulo.

Pouco tempo depois, Rômulo foi descoberto pela USA Hemp, uma grande empresa norte-americana que produz esses medicamentos. Por meio de uma parceria, ele passou a comercializar produtos de qualidade, certificados e aprovados pela FDA (Food and Drug Administration), agência de saúde dos Estados Unidos semelhante à Anvisa.

Todo o processo de autorização e aquisição que levava entre 30 e 40 dias, passou a ser feito por Rômulo em um intervalo de 7 a 10 dias. O preço do remédio também chama a atenção. Nas farmácias, um medicamento à base de Cannabis pode custar até 2,5 mil. Importado pela CBD Express, custa R$ 340.

“Deixamos claro que não estamos tratando da maconha para uso recreativo, mas sim para fins medicinais. O óleo não dá alucinação, não dá ‘barato’. Temos que separar muito bem isso. Afinal de contas, estamos lidando com a vida de pessoas”, frisou Rômulo.

Pequenos milagres

No Espírito Santo, a CBD Expreess já atende 40 famílias. No país, são cerca de 300 e a tendência é que o número suba cada dia mais. Isso é o que espera Amanda Rodrigues Schwab, 41, mãe de Miguel Rodrigues Savlla, de 10 anos. Ele tem transtorno do espectro autista e faz uso de óleos à base de Cannabis desde 2017. “Desde a primeira experiência notamos a diferença. Meu filho tremia muito com as mãos, sofria espasmos por todo o corpo. Mas desde que iniciou o tratamento, nunca mais teve esses prolemas”.

A mãe relata também uma mudança na forma como Miguel se expressa. No passado, ele se auto-agredia com frequência e por conta da alta carga de remédios farmacêuticos que tomava, passava a maior parte do dia sedado.

“Ele tomava cinco medicações diferentes e eu sentia que isso não fazia bem para ele. Não queria vê-lo daquela forma, sedado, como um zumbi. Queria vê-lo vivo, ativo. E isso foi possível graças ao óleo. Hoje ele toma apenas dois remédios e é uma criança feliz, com uma vida mais saudável. Precisamos de força para vencer o preconceito e demais obstáculos que impedem o acesso ao CBD”, disse Amanda.

Doações

Para garantir o direito a um tratamento adequado, a CBD Express atende famílias mais necessitadas por meio de doações. Segundo Rômulo, a partir do momento que a pessoa adquirir uma prescrição médica, a empresa oferece auxílio jurídico para solicitações junto à Justiça que obriguem o SUS ou planos de saúde a arcar com o tratamento. “Temos uma equipe de advogados que prestam esse serviço pró-bono e as doações são feitas até que uma liminar seja concedida”.

Pessoas e empresas interessadas em cooperar com doações podem procurar a CBD Express pelo Instagram ou site.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

ES registra 9 óbitos e 1.089 casos de covid-19 em 24h

Dia a dia

hacker preso no ES pela PF paga fiança e é solto

Tec

Satélite brasileiro será lançado na madrugada deste domingo

Dia a dia

Com ações inclusivas, Maranata leva ensinamentos a pessoas com deficiência