Justiça determina que médica apague vídeo sobre o uso da cloroquina - ES360

Justiça determina que médica apague vídeo sobre o uso da cloroquina

Nas imagens, a médica acusa o prefeito de Baixo Guandu, Neto Barros (PCdoB), de colocar pessoas em risco por não comprar o medicamento

A Justiça do Espírito Santo determinou que uma médica do Estado retire do ar, em uma rede social, um vídeo em que ela apoia o uso da cloroquina. A médica acusa o prefeito de Baixo Guandu, Neto Barros (PCdoB), de colocar pessoas em risco por não comprar o medicamento.

Nas imagens, ela relata que pediu várias vezes a prefeitura para que pudesse usar a substância. De acordo com Neto Barros, a médica nunca pediu à administração do município para utilizar o remédio. Ele ressalta que nem a prefeitura nem o estado do Espírito Santo podem tomar essa decisão.

A prefeitura de Baixo Guandu entrou com uma ação na Justiça para que a médica se retrate sobre o caso. Neto diz que ela terá de comprovar publicamente o que relatou no vídeo. O prefeito diz que estuda se vai ou não entrar com uma ação de danos morais contra a profissional de saúde.

A Secretaria de Saúde do Espírito Santo alterou, nesta semana, o protocolo de uso de medicamento e não recomenda mais o uso da Cloroquina em pacientes com covid-19 em estado grave.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Deputado pede investigação de Heleno por monitorar ambientalistas

Dia a dia

Covid-19: Espírito Santo volta a registrar mil casos em 24 horas

Dia a dia

Mortes violentas no Espírito Santo crescem em ritmo maior que no Brasil

País

Lewandowski nega recurso da Globo e manda ao TJ do Rio caso das “rachadinhas”