Irã garante que vai "punir" responsáveis pela queda do avião ucraniano - ES360

Irã garante que vai “punir” responsáveis pela queda do avião ucraniano

Em um anúncio na televisão iraniana, o presidente do país, Hassan Rouhani, disse ser importante levar qualquer responsável pelo acidente à Justiça

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse nesta terça-feira (14) que o país vai “punir” todos os responsáveis pela queda do avião civil ucraniano, atingido por um míssil nos arredores de Teerã no último dia 8.

“Para o nosso povo é muito importante que qualquer responsável por um ato de negligência seja levado à Justiça”, disse Rohani em discurso transmitido pela televisão em Teerã.

“Todos aqueles que têm de ser punidos vão ser”, acrescentou o presidente iraniano.

De acordo com a Associated Press, as autoridades iranianas fizeram detenções, suspostamente relacionadas à queda do avião.

O governo da República islâmica acabou por reconhecer que o avião das linhas aéreas da Ucrânia, com 176 pessoas a bordo, foi abatido “por erro” por um míssil balístico iraniano, na quarta-feira passada.

O anúncio da responsabilidade das Forças Armadas do Irã no acidente causou choque e uma onda de indignação em Teerã.

No sábado à noite, uma cerimónia em homenagem às vítimas transformou-se numa manifestação contra as autoridades, com gritos de “morte aos mentirosos”, antes de ser dispersa pela polícia. No domingo à noite, houve outras manifestações.

Segundo a agência Associated Press, as forças de segurança iranianas dispararam balas reais e gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes. Organizações não governamentais de defesa dos direitos humanos já pediram ao Irã que permita que as pessoas protestem pacificamente, conforme prevê a Constituição.

Agência Brasil

Mais notícias
Dia a dia

Espírito Santo registra 31 mortes pela covid-19 em 24 horas

Dia a dia

Cloroquina será receitada em consultas por telefone em Vitória

País

Brasil supera 1,5 milhão de casos de covid-19; total de óbitos vai a 63.174

Dia a dia

Casagrande aponta sinais de estabilidade de casos na Grande Vitória