Incêndio na Praia do Canto foi atendido após 21 minutos por bombeiros de Vila Velha - ES360

Incêndio na Praia do Canto foi atendido após 21 minutos por bombeiros de Vila Velha

A equipe de Vitória atendia outro chamado no momento da ocorrência. Segundo a corporação, tempo de resposta foi "bastante rápido"

A fuligem do incêndio tomou o terceiro andar do prédio. Foto: Reprodução
A fuligem do incêndio tomou o terceiro andar do prédio. Foto: Reprodução

Uma equipe do Corpo de Bombeiros de Vila Velha foi quem respondeu a ocorrência de incêndio que resultou na morte de um menino de quatro anos na noite desta segunda-feira (19) na Praia do Canto, em Vitória. Do pedido de socorro até a chegada dos militares no condomínio Pintor Fanzeres, na avenida Rio Branco, a espera durou 21 minutos.

> Bombeiros coletam equipamentos elétricos de apartamento após incêndio

Em entrevista à rádio BandNews FM Espírito Santo, o coronel do Corpo de Bombeiros Roger Vieira do Amaral, considerou o tempo de resposta “bastante rápido”.

> Moradores de prédio onde ocorreu incêndio podem retornar para casa

Questionado sobre a necessidade de acionar uma equipe de fora da capital para atender a uma ocorrência na Praia do Canto, ele explicou que a situação já ocorreu em outras ocasiões. “Isso ocorre raramente. Infelizmente veio a acontecer com uma criança”, ponderou o militar.

Confira a entrevista completa

 

Por qual motivo uma unidade de Vila Velha foi acionada?

Nossas unidades têm todas as viaturas e guarnições necessárias: viaturas de combate a incêndio, de resgate e de salvamento. A viatura de combate a incêndio atendia outra ocorrência no mesmo momento. Quando ocorreu o chamado, às 20h05, a viatura que veio de Vila Velha chegou ao local após 21 minutos, um tempo bastante rápido.

E quanto tempo durou o combate às chamas?

O tempo de combate durou aproximadamente em torno de uma hora e meia.

Qual o quadro que vocês encontraram o imóvel?

Imagine um corredor com um quarto no meio, outro do lado esquerdo e outro do lado direito. O incêndio começou e ficou basicamente concentrado no quarto do meio. No quarto da direita estavam a mãe da criança e a avó. E no quarto da esquerda a criança, que veio a falecer. Mas a criança não foi queimada, ela faleceu por asfixia química. Ela inalou fumaça e veio ao óbito por inalação de fumaça.

E o resgate dos demais moradores do apartamento?

Nós chegamos com a equipe de combate ao incêndio, começamos a combater as chamas, fizemos a contenção de temperatura e fumaça. Uma equipe entrou imediatamente no quarto da direita, onde sabíamos que estavam essas duas pessoas. Durante o resgate, a mãe disse que o filho estava no outro quarto. A outra equipe que já estava de pronto atendimento entrou e socorreu a criança de imediato.

E como foi o resgate da criança?

O bombeiro já realizou a análise primaria ali mesmo. Pegou o pulso, viu que tinha que ele estava muito fraco e desceu do prédio fazendo a massagem cardíaca. Quando chegou no térreo, entregou a criança para a unidade do Samu que fez um excelente trabalho por mais de duas horas.

Causas do incêndio

Assim que tivermos as causas do incêndio, vamos divulgar. Até para evitar novos incêndios. Uma das funções da perícia é retroalimentar o sistema para sabermos onde estão os erros e falhas para acertarmos isso.

É comum ter que acionar viaturas de outras cidades?

Já ocorreu em outros momentos de pedirmos apoio de Vila Velha ou Serra. Falar se é suficiente ou não temos que pensar que essa é uma situação que acontece uma vez em mil. Temos atendido todas as ocorrências da melhor forma possível. Isso ocorre raramente, infelizmente veio a acontecer com uma criança.


Comentários:


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
País

Carrefour: ato de várias religiões homenageia João Alberto

País

Tarcísio de Freitas é o 14º ministro diagnosticado com covid-19

Cult

Paulinho da Viola faz sua primeira live neste sábado

Esportes

Tyson x Jones é o pontapé inicial para a liga das lendas nos EUA