Grupo frauda mais de R$ 100 milhões em registros de veículos - ES360

Grupo frauda mais de R$ 100 milhões em registros de veículos

Ação integrada do MPES, PM, PRF e Detran cumpre 11 mandados de prisão temporária no Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais

O Ministério Público do Espírito Santo (MPES), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco-Central), em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), com o apoio da Polícia Militar do Estado (Assessoria Militar ao MPES – Núcleo de Inteligência), do Detran-ES (Departamento Estadual de Trânsito do Estado) e da Receita Federal, deflagrou na manhã desta quinta-feira a operação “Replicante”. A ação apura a existência de uma organização criminosa destinada à prática de fraudes em registros de veículos no Espírito Santo, a partir da inserção de dados e documentos falsos no sistema do Detran-ES.

A operação cumpre 14 mandados de busca e apreensão em 6 municípios entre o Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, além de 11 mandados de prisão temporária expedidos pela 3ª Vara Criminal de Vila Velha. No total, participam da ação 42 agentes da Polícia Rodoviária Federal e 23 policiais militares da Assessoria Militar ao MPES.

Segundo o MPES, as investigações apontam provas de fraudes no registro de veículos em nome de mais de 400 proprietários “laranjas” com utilização de notas fiscais falsas contendo números de chassis correspondentes a veículos exportados ou comercializados ao Exército Brasileiro. Estão sob investigação cerca de 895 registros de veículos no Detran-ES, com valor estimado de fraude superior a R$ 100 milhões.

São investigados despachantes, servidores do Detran-ES e pessoas que utilizam nomes de terceiros e documentos falsos destinados à realização das fraudes. Por meio deles, veículos furtados ou roubados aparentavam estar dentro da legalidade. E, com isso, era fomentada a prática de crimes como o estelionato contra seguradoras, a realização de financiamentos de veículos inexistentes e a alteração de característica de veículo, dentre outras possibilidades.

A investigação tramita sob sigilo e seguirá com a análise dos documentos, mídias e dispositivos apreendidos, oitivas de testemunhas e dos investigados.

Mais notícias
Dia a dia

Apenas 3 municípios do ES aderiram à compra direta de vacinas

País

MP encerra grupo que investigava Flávio Bolsonaro

Dia a dia

Covid: imunidade comprometida e infecção longa podem ser explicação para mutações

Dia a dia

Maranata leva ensinamentos a pessoas com deficiência