Grupo de promotores de São Paulo pede para ser vacinado com prioridade - ES360

Grupo de promotores de São Paulo pede para ser vacinado com prioridade

O texto foi apresentado ao PGJ durante reunião do Conselho Superior do Ministério Público realizada no último dia 24

Um grupo de promotores do Ministério Público de São Paulo encaminhou manifestação ao procurador-geral de Justiça do Estado, Mário Sarrubbo, e ao Comitê da Covid-19 da instituição sugerindo a ‘análise da possibilidade’ de que a categoria seja incluída em uma das ‘primeiras etapas prioritárias’ da vacinação contra a Covid-19, ‘dada a atividade funcional da carreira’

“Não é uma questão de egoísmo em relação a outras carreiras, mas tendo em vista notadamente os colegas do primeiro grau, que trabalham com audiências, atendimento ao público e outras atividades em que o contato social é extremamente grande e faz parte do nosso dia a dia”, registra um trecho do documento.

O texto foi apresentado ao PGJ durante reunião do Conselho Superior do Ministério Público realizada no último dia 24. Segundo a ata do encontro, disponibilizada no site da Promotoria, o documento foi levado pelo conselheiro Arual Martins.

Ele, por sua vez, disse que recebeu a manifestação do promotor Roberto Barbosa Alves e respondeu ao colega que iria apresentá-la na reunião para que o Comitê da Covid-19 ‘pudesse analisar a questão e verificar a possibilidade’.

Durante a reunião, Sarrrubbo afirmou que encaminharia a questão ao Gabinete de Crise e disse ainda ‘que pode pessoalmente se empenhar em apresentar esse pleito ao Governo do Estado’.

A ata ainda faz menção aos testes da Coronavac, cuja entrada na fase final foi anunciada pelo governador João Doria no último dia 23. A avaliação sobre a eficácia do produto já começou e deve ter seus resultados divulgados no início de dezembro.

O PGJ sinalizou que há ainda outras vacinas que ‘têm se mostrado com eficácia muito boa’ e que há a expectativa de a imunização começar no primeiro semestre de 2021, ‘ inicialmente para a população mais vulnerável, que seriam os idosos, os profissionais de medicina, e assim por diante’. “De todo modo, (Sarrubbo) considera que é um pleito que pode ser levado a análise pelo Gabinete de Crise”, registra a ata.

Estadão


Comentários:


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Pazuello: Brasil será o 2º país com mais vacinados no Ocidente

Mundo

China começa a testar 2 milhões em Pequim

Dia a dia

Planalto faz investida contra pressão por impeachment

Dia a dia

Vitória entra em risco baixo para a transmissão da covid-19