Globo e parceria entre SBT e Disney disputam para transmitir Fórmula 1 - ES360

Globo e parceria entre SBT e Disney disputam para transmitir Fórmula 1

A empresa que negocia os direitos da Fórmula 1, deixou claro aos interessados que por menos de 22 milhões de dólares (R$ 112 milhões) não teria acordo

A temporada da Fórmula 1 chegou ao fim no último domingo, mas as negociações para transmissão da categoria na TV continuam agitadas nos bastidores. Tudo caminhava para que uma parceria entre SBT e Disney assume o controle das exibições da F-1, mas as conversas travaram e a Globo volta a se animar com a possibilidade de permanecer com os direitos da principal prova de automobilismo do mundo.

O SBT e a Disney conversam há algumas semanas para selar a parceria e assumirem a transmissão da F-1. A ideia seria que o SBT passasse a corrida na TV aberta e os canais Disney (ESPN e Fox Sports) ficariam com os treinos e reprise da prova. Mas a empresa norte-americana decidiu recuar, após longa análise mercadológica. O acordo ainda não está totalmente desfeito, mas as chances de êxito caíram bastante.

A visão da Disney é que não seria rentável investir na Fórmula 1 neste momento, em que o mundo tenta se reerguer economicamente, em razão do coronavírus. O retorno de patrocinadores e audiência não seriam suficientes para a transmissão gerar lucro. A emissora de Silvio Santos descarta a possibilidade de fazer uma proposta sozinha, também pela questão financeira. O recuo da Disney pegou o SBT de surpresa. A emissora até analisava o mercado em busca de comentaristas para a F-1. O narrador seria Téo José.

A Liberty Media, empresa que negocia os direitos da Fórmula 1, deixava claro aos interessados que por menos de 22 milhões de dólares (R$ 112 milhões) nem sentaria para conversar. Mas as desistências e a dificuldade de acerto fizeram com que a empresa já aceitasse reduzir o valor. A Bandeirantes e a TV Cultura chegaram a demonstrar interesse, mas também saíram da briga pelas altas cifras.

A transmissão da Fórmula 1 para o Brasil parece estar mais complicada que o esperado. Em setembro, o consórcio Rio Motorsports comprou os direitos e o objetivo era revender para alguma emissora, mas em novembro, o acordo foi desfeito. Neste momento, a temporada de 2021 da F-1 não terá transmissão no Brasil.

Em agosto, a emissora carioca informou que não renovaria o contrato com a Liberty Media. O motivo principal seria a situação financeira. A Globo, assim como a maioria das empresas pelo mundo, teve uma queda brusca de receitas e analisou que seria muito caro manter a prova em sua grade de programação. Mas a falta de opção pode fazer com que a emissora continue como detentora dos direitos da F-1.

A Globo conversa com a Liberty Media há alguns meses, mas deixa claro que os valores para um acerto seriam menores do que era pago anteriormente. O acordo poderia ser fechado entre 18 milhões (R$ 91,7 milhões) e 20 milhões (R$ 101, 9 milhões). Como possíveis concorrentes também não conseguem oferecer ofertas melhores, neste momento, a Globo é quem aparece como favorita para transmitir as corridas.

A diferença de valores parece ser pequena, entre o que quer a Liberty Media e o que a Globo pretende pagar. Algo em torno de R$ 10 milhões. Mas neste pacote não está incluso o valor gasto para viagens, equipamentos e transmissão das corridas, sejam elas no SporTV ou na Globo.

Estadão Conteúdo


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

ES recebe neste domingo 35,5 mil doses da vacina de Oxford/AstraZeneca

Dia a dia

VÍDEO: enfermeira do ES debocha da vacina nas redes socias

Dia a dia

ES registra 24 mortes e 858 novos casos de covid-19 em 24h

País

Começa a distribuição das doses de vacina AstraZeneca/Oxford para Estados