Globo divulga no 'JN' posicionamento sobre assédio sexual envolvendo Melhem - ES360

Globo divulga no ‘JN’ posicionamento sobre assédio sexual envolvendo Melhem

Nesta semana, Hélio de la Peña ironizou a ausência de posicionamento da Globo sobre o assunto e publicou no Twitter: "Assédio moral e sexual: isso a Globo não mostra"

A TV Globo surpreendeu os espectadores na noite desta terça-feira, 8, ao emitir uma nota sobre o caso de assédio sexual envolvendo o humorista Marcius Melhem durante o Jornal Nacional.

Na voz dos apresentadores substitutos André Trigueiro e Ana Luiza Guimarães, a nota dizia o seguinte: “a Globo informou que investiga criteriosamente todas as denúncias de assédio e que não tolera comportamentos abusivos. Mas que não pode comentar publicamente nenhuma investigação desse tipo, por ter assumido com todos os seus colaboradores um compromisso de sigilo do processo, que resguarda a investigação dos fatos, denunciantes, denunciados e testemunhas”.

Os apresentadores também sugeriram que os telespectadores acessassem links de sites de notícias sobre o assunto, como o da revista Piauí e do UOL.

Nesta semana, Hélio de la Peña ironizou a ausência de posicionamento da Globo sobre o assunto e publicou no Twitter: “Assédio moral e sexual: isso a Globo não mostra”.

O escândalo foi à tona após uma publicação da revista Piauí na sexta-feira, 4. As primeiras denúncias surgiram há quase um ano e foram negadas por Melhem. O nome de Dani Calabresa foi citado, ao lado do de Maria Clara Gueiros, entre as denunciantes, em postagem feita pelo jornalista Leo Dias na ocasião.

Estadão Conteúdo


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Enfermeira que debochou de vacina é demitida da Santa Casa

País

Lewandowski abre inquérito para apurar atuação de Pazuello em Manaus

Dia a dia

Covid-19: Espírito Santo registra 48 óbitos em 24 horas; total chega a 5.716

Dinheiro

Se endividamento for menor, pode debater auxílio de até 6 meses, afirma Maia