Europa tem quase metade dos 4 milhões de novos casos do mundo - ES360

Europa tem quase metade dos 4 milhões de novos casos do mundo

A última contagem semanal da agência de saúde da ONU revelou que os 54 países do continente continuaram a relatar a maioria dos novos casos

A Europa respondeu por quase metade dos 4 milhões de novos casos de coronavírus no mundo na semana passada, mas registrou uma queda de quase 10% nas infecções em comparação com a semana anterior, graças em parte às rígidas medidas de bloqueio do governo que geraram descontentamento, o Organização Mundial da Saúde informou na quarta-feira, 18.

Na capital alemã, Berlim, confrontos violentos entre os que protestavam contra as restrições ao coronavírus e a polícia eclodiram na quarta-feira, 18, perto do centro da cidade, depois que os manifestantes desconsideraram o conselho da polícia de usar máscaras e se distanciar socialmente.

A última contagem semanal da agência de saúde da ONU revelou que os 54 países do continente continuaram a relatar a maioria dos novos casos de qualquer região do mundo, 46%, mas seu declínio nos casos seguiu “o fortalecimento da saúde pública e medidas sociais”.

Mas com a queda de novos casos, a contagem de mortes causadas pelo vírus ainda aumentou substancialmente na Europa na última semana, para mais de 29 mil novas mortes, disse a OMS.

A filial da organização nas Américas viu um aumento de 41% em novos casos, sugerindo que um número maior de mortes semanais poderia ocorrer em breve. O Sudeste Asiático foi a única região que registrou queda nos casos e mortes.

Na Europa, a OMS disse que o aumento mais acentuado nos casos de coronavírus foi na Áustria, que viu um aumento de 30% em novos casos em comparação com a semana anterior. A OMS também observou que o Reino Unido foi o primeiro país da região a registrar mais de 50 mil mortes.

Europa Ocidental vem registrando sinais de melhora

Na quarta-feira, a Bélgica disse que deu um grande passo para conter o ressurgimento do coronavírus, relatando uma queda na contagem diária de mortes pela primeira vez desde a última onda da covid-19 no outono.

O virologista Steven Van Gucht, do grupo de saúde Sciensano do governo, disse que a média diária de mortes por vírus na Bélgica agora é de 185, uma redução de 5% em comparação com a média da semana anterior. Na última semana, a média diária de internações hospitalares caiu 24% e as novas infecções caíram 39%.

Funcionários na Holanda, ao norte, estavam diminuindo as restrições ao coronavírus em meio à queda nas taxas de infecção e estavam prontos para reabrir locais como cinemas, museus, bibliotecas, zoológicos e piscinas – ainda com limitações de quantas pessoas podem visitar – depois de um encerramento da semana.

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, saudou uma tendência “positiva” de queda, mas disse que a contagem de casos ainda era muito alta. Ele alertou o país para permanecer em um bloqueio parcial. Em meados de outubro, as taxas de infecção holandesas estavam entre as piores da Europa.

Estadão Conteúdo

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Greve do lixo: Justiça aplica multa e ordena condução de sindicalistas pela polícia

Mundo

Moderna anuncia eficácia em vacina e pedirá uso emergencial nos EUA e Europa

Bem-estar

Remédio da Biogen contra Alzheimer pode chegar ao Brasil em 2022

Mundo

Rússia inicia vacinação com Sputnik V, que ainda está em testes