Estresse durante a pandemia pode levar à queda de cabelo - ES360

Estresse durante a pandemia pode levar à queda de cabelo

É natural perder entre 50 a 100 fios por dias. O problema ganha força caso a perda de fios se torne mais intensa

Queda de cabelo. Foto: Reprodução
Queda de cabelo. Foto: Reprodução

 

Ver o ralo do banheiro e a escova lotados de cabelo causou uma aflição em você? E os fios espalhados pelo chão da casa? Calma! Você não está ficando careca. A pandemia do novo coronavírus exigiu mudanças em todos os âmbitos da vida. As transformações provocadas pelo isolamento social podem gerar um quadro de estresse que, por sua vez, se manifestam não só na mente, mas também no corpo, e desencadeiam problemas como a queda de cabelo ou dermatites.

> Saiba como lidar com o estresse e a ansiedade durante o período de isolamento

É natural perder entre 50 a 100 fios por dia. O problema ganha força caso a perda de fios se torne mais intensa. Nesse caso, o ideal é buscar por um médico especialista. A busca por tratamentos voltados para a queda de cabelo tem aumentado no consultório da dermatologista Thaíz Rigoni. Dentre as queixas, mais recorrentes no período da pandemia, estão também as dermatites.

No momento, estamos passando por uma forte sobrecarga emocional devido a pandemia. Quando ficamos estressados, o corpo libera cortisol, hormônio que promove desde inflamações na pele até queda precoce dos fios. Thaíz Rigoni ressalta que em caso de queda anormal ou lesões na pele é importante consultar o médico mesmo que por telemedicina, pois a causa pode ser variada e são necessários exames e uma investigação para avaliar anemia, doenças da tireoide, quadros infecciosos, falta de vitaminas, entre outros.

“As demandas do consultório aumentaram devido às irritações na pele, queixas mais subjetivas e queda de cabelo. Mas o estresse não é um diagnóstico de preferência, ele é de exclusão. Após uma conversa com o paciente e a exclusão de outras causas, você detecta que a causa é o estresse. Após identificar a causa, é possível tratar. Se for uma deficiência alimentar, podemos fazer a reposição. Caso seja o estresse, muitas vezes é contornado”, explica a dermatologista.

A dermatologista lembra que a alimentação também pode influenciar. O déficit de ferro e a falta de vitamina D contribuem para a queda de cabelo. Nesse caso, entram as reposições de vitaminas. O que não falta são tratamentos. Fototerapia, à base de lasers e LED, que estimula os folículos capilares; o microagulhamento, que atua estimulando a produção de colágeno, e a microinfusão de medicamentos na pele, além de tratamentos com substâncias de uso oral e tópica, são algumas das opções apresentadas pela medicina.

Para evitar o estresse e os problemas de saúde decorrentes, o ideal é manter a calma durante a pandemia e buscar atividades prazerosas nas horas livres. E ficar alerta: em caso de qualquer alteração mais relevante no corpo, é preciso procurar ajuda médica.


Comentários:


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
País

PCC movimentou R$ 1,2 bilhão com tráfico de drogas

Dia a dia

Número de alunos em graduações a distância no Brasil salta 378% em 10 anos

Dia a dia

Mourão sobre desmatamento: “Precisamos apresentar melhores resultados”

País

Tribunal aceita denúncia e afasta governador de Santa Catarina