Espírito Santo discute fechamento total com municípios - ES360

Espírito Santo discute fechamento total com municípios

A informação foi confirmada pelo secretário da Saúde, Nésio Fernandes, em entrevista à Band News FM, nesta quinta-feira (21)

Comércio em Jardim da Penha, Vitória. Foto: Danielli Saquetto
Comércio em Jardim da Penha, Vitória. Foto: Danielli Saquetto

 

A nova Matriz de Risco, que classifica o grau de risco dos municípios capixabas com base nas ameaças e vulnerabilidades frente à pandemia do novo coronavírus, vai determinar, a partir do próximo domingo (24), um eventual fechamento total (ou lockdown) em cidades, regiões e até mesmo no estado. O governo já prepara um protocolo de orientação para os municípios sobre o funcionamento do lockdown. A informação foi confirmada pelo secretário da Saúde, Nésio Fernandes, em entrevista à Band News FM, nesta quinta-feira (21).

“Estamos finalizando as matrizes de lockdown no estado e fechando um modelo de fechamento. Ele inclui fechar setores da indústria, reduzir ao mínimo o transporte coletivo, fechamento das ruas e até bloqueio de bairros. O lockdown é uma realidade extrema, à qual nós não queremos chegar. Essas medidas podem ser evitadas se o conjunto da sociedade, das instituições, entender a gravidade do momento e tomar as medidas de distanciamento social necessárias”, detalhou o secretário.

Ainda de acordo com Nésio, a ideia é que cada município já tenha um Centro de Operações Especiais, onde serão desenhadas as estratégias para que o lockdown não ocorra, intensificando fiscalizações e promovendo o distanciamento social. O município deve ter estratégias preparadas em caso de um possível fechamento total, que contará com apoio do governo do estado.

O secretário alertou que a nova matriz de risco não leva em consideração apenas a taxa de ocupação de leitos. Em caso de aumento considerável no número de casos confirmados, óbitos e com base na porcentagem da população idosa, o município pode adotar o lockdown.

As medidas tomada pelos governo podem ser com base nos números estaduais ou regionais. Por ser um estado pequeno, o secretário afirma que é possível remanejar pacientes de acordo com a necessidade. Mas, até o momento, o mais adequado é levar em consideração os números estaduais para a adoção das estratégias, como o fechamento total.

“A nova matriz é mais sensível para reconhecer o risco real da pandemia do novo coronavírus no Espírito Santo. O número total de casos confirmados, a proporção da população idosa e a taxa de ocupação hospitalar de maneira generalizada ou regionalizada pode ser levada em consideração na conta. Mas, dada as proporções do estado, entendemos que o cálculo do número estadual é mais adequado”, explicou o secretário.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Setor de vestuário amarga queda de 94% nas vendas no ES

Dia a dia

ES registra 22 mortos por coronavírus em 24h

Dia a dia

Covid-19: Casagrande e a primeira-dama passam bem

Dia a dia

Deputados aprovam redução de 30% em mensalidades escolares